segunda-feira, 27 de abril de 2009

HUNGARIAN MTBO CUP: TEM A PALAVRA DANIEL MARQUES


Daniel Marques trouxe da Hungarian MTBO Cup dois excelentes resultados, conforme já tivemos oportunidade de noticiar. Dessa participação brilhante e, em particular, da prova de Distância Longa, aqui fica o relato na primeira pessoa.

A prova de Distância Longa ficará como uma boa recordação, especialmente porque assisti o Lubomir Tomecek a cruzar a meta a uma dúzia de metros à minha frente. Por ter sido uma partida em massa, o primeiro atleta a cruzar a meta é o vencedor, o que aumenta a emoção e o carisma da competição. Se a isto juntarmos um speaker e um público a apoiar a nossa passagem, facilmente perceberemos que é um ambiente privilegiado. Esta prova caracterizava-se também pelas duas trocas de mapa e pela diferente combinação de ‘loops’.

Eram 9h30m quando se deu o "tiro de partida". Após recolha dos mapas e de uma corrida intensa de 100 metros para chegar à bicicleta, fui rápido e prático no arranque... Estava na liderança! Fui o primeiro atleta a controlar os primeiros dois pontos do meu ‘loop’, depois formou-se um grupo de aproximadamente cinco atletas e seguimos juntos até ao quarto controlo... A partir daqui, opções diferentes fizeram com que eu ficasse isolado e continuasse em prova sem qualquer companhia. Foi também neste momento que me apercebi que tinha perdido o meu bidón de água algures (“sem stress”, pensei - na troca de mapa haverá, certamente, um refresco!).

Sentia que a prova estava a correr bem, estava a seguir num ritmo forte e a navegar sem hesitações. Na primeira troca de mapa sabia que estava muito bem classificado (era 3º, atrás do Seger e do Tomecek), mas já estava desesperado por água. Reparei que a única hidratação disponibilizada pela organização era um ‘jerrican’ de 30 litros com o objectivo de os atletas encherem os bidons, mas eu não tinha bidón!! Levantei o Jerrican energicamente e apressei-me em beber o máximo de água possível. Tinha um loop de 15 km à frente e não iria ter hipóteses de beber água pelo meio.

No segundo mapa cometi um erro de orientação de um minuto, saí mal do quinto controlo e fiquei um pouco desorientado, mas continuei num ritmo forte até à próxima troca de mapa. Depois de mais meia dúzia de goles do ‘jerrican’ arranquei determinado para o último ‘loop’... Era um mapa 1:10 000 mais exigente tecnicamente. O último ‘loop’ foi perfeito, consegui recuperar algumas posições e no posto de controlo 303 (após este faltavam apenas mais dois pontos rápidos) éramos um grupo de 6 atletas separados por 12 segundos (eu, o Seger, o Honza, o Tomecek, o Rief e o Hadril). Até ao final foi ver quem tinha mais forças de reserva e num sprint bastante longo definiram-se as posições finais! Bestial, lutar "ombro a ombro" com os melhores do mundo nestas circunstâncias!

Gostaria de enaltecer o espírito da comitiva portuguesa durante este fim-de-semana. Costuma-se dizer que a união faz a força, no nosso caso. Deixo aqui uma palavra de apoio para o João que teve prestações promissoras e meritórias, lutando de cabeça erguida contra a elite mundial. E no caso da Susana é confortante sentir a dedicação com que ela vive a modalidade. Julgo que estamos de parabéns pela imagem positiva que passámos para o mundo da orientação em BTT. Estamos a evoluir!

Os mapas e mais alguma informação podem ser vistos no blogue pessoal de Daniel Marques, em
http://dani-oribtt.blogspot.com/.

[foto retirado do álbum de João Ferreira em
http://picasaweb.google.pt/joaoferreira.ori/HungarianMTBOCupWorlRankingEvent09#]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: