quinta-feira, 23 de abril de 2009

HUNGARIAN MTBO CUP: A ESTREIA DE JOÃO FERREIRA NA ELITE MUNDIAL


É uma das maiores certezas da Ori-BTT nacional e faz em Veszprém, a sua estreia entre a Elite mundial. Falamos de João Ferreira, o jovem atleta do DA Recardães, que nos deixa as suas impressões.

Esta possibilidade de ir à Hungria surgiu em Setembro passado, quando eu e o Daniel [Marques] estávamos no Campeonato Europeu na Lituânia. Vimos o folheto da prova e os bocadinhos de mapas-exemplo e ficámos curiosos. Percebemos que era numa boa data, que daria para enquadrar na nossa época e o Daniel acabou por estabelecer contacto com o organizador húngaro. Já durante esta época, na prova do WRE em Grândola, depois de confirmar com o Daniel que ele iria, falei com a Susana Pontes e rapidamente organizámos a viagem. Está tudo preparado para irmos os três. Mas gostaria de referir que nada disto era possível sem os meus apoios pessoais, entre os quais destaco o Club L, Sport Zone, WithoutStress, Biofitness e Fisio-T, ao nível dos vários serviços e produtos, e ainda o apoio do meu clube, Desportivo Atlético de Recardães, e da Câmara Municipal de Águeda.

Esta prova vem numa altura que precede os Campeonatos Nacionais e Ibérico e por isso não podia ser melhor. Aproveitarei também para fazer o ponto de situação no que respeita à minha preparação para o Campeonato do Mundo de Juniores em Junho. Correr em Elite, ao lado dos melhores do mundo, deve ser uma sensação muito boa e estou ansioso para tal. Quando estão mais de cem atletas inscritos, das mais variadas potências da Ori-BTT mundial, e sendo eu ainda júnior, os objectivos passam por ganhar experiência internacional neste escalão. Se ficar a meio da tabela já seria muito bom.

Esta época não tem sido fácil. Primeiro porque o tempo para treinar não tem sido aquele que desejava devido à Faculdade. Tive que encontrar outra maneira de poder ganhar ritmo competitivo e por isso federei-me na Federação de Triatlo. Tenho participado em provas de Duatlo pelo Oeiras Sport Clube e desta forma tenho mais provas (Ori pedestres, Ori-BTT e Duatlos). Outra questão menos boa nesta época é em termos de jovens na modalidade. Temos poucos jovens e as médias de participantes em H20 por exemplo tem sido de três ou quatro. A competição no escalão H20 diminuiu pois saíram bastantes atletas. Daí que, depois de algumas provas esta época em H20, decidi fazer em Elite. Precisava de fazer quilómetros e de ganhar ritmo competitivo, pois não estava a treinar como gostaria. A motivação em Elite é maior e aproveitei para me ir habituando à realidade do próximo ano.

O resto da época, tratando-se dos Campeonatos Nacionais e Ibérico, vou fazer em H20. Espero ir ao pódio. A prova na Hungria vai servir também para preparar essa competição mas o grande objectivo da época é o Campeonato do Mundo de Juniores na Dinamarca. O ano passado consegui o 9º lugar no Sprint e por isso a fasquia está muito elevada. Saíram alguns grandes nomes juniores para este ano mas também entraram novos que já tive a oportunidade de conhecer. Não vai ser uma competição fácil mas é sempre por alturas destas que nós, atletas, mais ansiamos durante uma época inteira e queremos dar o nosso melhor. Estive muito perto de ir ao pódio no europeu (7º lugar na Longa) e o que senti na altura foi um misto de felicidade - porque foi um bom resultado! – e de frustração. Se tivesse ficado nos seis primeiros, seria algo inesquecível, mas a competição está cada vez maior e a minha preparação este ano ainda não é a melhor. Espero estar a 110% na Dinamarca e poder lutar por um top-10 já seria muito bom. Campeonato do Mundo de Seniores em Israel? Ainda é um sonho…


Saiba tudo sobre a Hungarian MTBO Cup em
http://www.mtbo.hu/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: