sábado, 18 de abril de 2009

2009 ISF WORLD SCHOOL CHAMPIONSHIP ORIENTEERING MADRID: A PROVA DE DISTÂNCIA MÉDIA EM ANÁLISE

.
Sobre os resultados sonantes da prova de Distância Média, debruçámo-nos aqui há um par de horas atrás. Cabe agora a vez aos restantes atletas, também eles merecedores dos mais rasgados elogios.

Começamos pelo escalão de Juvenis Femininos – Escola onde, já o dissemos, a EB 2,3 Cunha Rivara se sagrou vice-campeã do Mundo colectivamente e Ana Coradinho e Ana Salgado foram, respectivamente, 7ª e 10ª classificadas. Inês Pinto melhorou substancialmente em relação ao 22º lugar da Longa e foi hoje 11ª classificada, com 25.23, “fechando” a equipa e contribuindo decisivamente para o brilhante 2º lugar por equipas. Rita Rodrigues esteve abaixo das suas reais capacidades, deixando a sensação que passou ao lado deste Mundial. Hoje não foi além do 25º lugar, com um registo de 29.25. Atrás de si ficou Ana Tomás, o “elo mais fraco” deste grupo, hoje a quedar-se pela 77ª posição com 1.25.48. Helena Karlsson, já se disse, foi a vencedora. Importa contudo referir o 2º lugar, alcançado por Viola Zagonel (IC Primiero) e que deu à Itália a única medalha individual nestes Campeonatos. Concluíram a prova 80 atletas.

Quanto aos Iniciados Femininos – Escola, a representação da EB 2,3 Cunha Rivara recuperou muito bem, rectificando a má prestação global da prova de Distância Longa. Inês Catalão e o seu segundo lugar foram, já o dissemos, uma extraordinária surpresa. Mas que dizer de Ana Anjos, subindo 30 posições em relação à Longa e terminando no 11º lugar com 24.21? Sofia Anjos também melhorou ligeiramente e alcançou o 34º lugar com um tempo de 38.14. Quem não esteve particularmente feliz foi Teresa Maneta, quedando-se hoje pelo 19º lugar com 28.25. Diana Prates, com 1.32.00, voltou a ter a pior prestação do quinteto e não foi além do 54º posto em 56 concorrentes.

Iniciados e Juvenis Masculinos com prestações idênticas

Continuando nas Escolas, mas passando agora ao sector masculino, começamos pelos Iniciados cuja representação esteve, ainda e sempre, a cargo da turma arraiolense da EB 2,3 Cunha Rivara. A prova teve uma distância de 2,4 km (13 pontos de controlo, 205 m de desnível) e teve no letão Rudolfs Zernis (Saldus Pilsetas 2Vidusskola) o grande vencedor com o tempo de 19.02. Zernis junta assim o ouro à prata conquistada na Longa de há dois dias atrás. João Salgado foi o nosso melhor representante no 12º lugar, com o tempo de 25.20. Nos lugares seguintes classificaram-se João Pedro (20º lugar, com 28.39), João Cascalho (25º lugar, com 30.43) e Gonçalo Pereira (50º lugar, com 1.09.41). Pedro Rosado fez “missing point”. Participaram na prova 56 atletas.

A ES Pinhal Novo teve de novo a responsabilidade de representar as nossas escolas no escalão de Juvenis. A prova teve uma distância de 3,2 km (14 pontos de controlo, 225 m de desnível) e as coisas não correram particularmente bem ao conjunto do Professor Daniel Pó. Miguel Mouco, na 19ª posição com 27.59 foi, desta feita, o nosso melhor elemento. Dois lugares abaixo situou-se Paulo Pereira com o tempo de 28.58. Ricardo Reis, na 33ª posição com 32.36, fechou o trio que pontuou para a equipa. Bruno Jesus, ficou no 41º lugar com 36.41 e Fábio Silva, o melhor elemento da Secundária de Pinhal Novo na Longa, teve agora uma prestação nos antípodas da anterior, encerrando o quinteto na 63ª posição com 49.59. Numa prova em que participaram 82 atletas, os suecos Martin Regborn e Johan Högstrand, em representação da Eksjö Orienteringsgymnasium, repetiram o ouro e a prata, respectivamente, da jornada inaugural.

Selecções femininos mostram o que valem

Joana Costa e Mariana Moreira foram as grandes figuras no escalão de Juvenis Femininos - Selecção. Isabel Sá, ainda não a 100% após a lesão sofrida na prova de Distância Longa, esteve hoje ligeiramente melhor e concluiu no 17º lugar com 25.23, fechando de novo a equipa. Marta Ferreira e Margarida Colares voltaram a mostrar-se aquém das suas capacidades, terminando nos 32º e 45º lugares, com registos de 29.03 e 35.07, respectivamente. Foram em número de 55 as participantes nesta prova.

A Selecção de Iniciados Femininos teve em Vera Alvarez e no seu brilhante segundo lugar a grande mais-valia, já que os restantes resultados, apesar de meritórios, ficaram algo aquém do esperado. As classificações foram as seguintes: 23º Inês Domingues 30.45; 25º Ana Catarina Dias 34.21; 33º Nádia Silva 41.59; e, 36º Ana Tereso 48.55. A inglesa Florence Haines, já se disse, foi a vencedora, numa prova concluída por 43 atletas.

Iniciados melhor que Juvenis

Finalmente as selecções masculinas. Começando pelos Iniciados, já aqui falámos anterior nas excelentes prestações de Luís Silva e Miguel Ferreira, respectivamente 7º e 9º classificados. Quanto aos restantes elementos, Marcelo Aguiar esteve igualmente muito bem, recuperando da má prestação na prova de Distância Longa e terminando no 17º lugar com 25.23. Menos bem esteve Tiago Baltazar, ele que é um dos nossos jovens que mais e melhor futuro promete, não indo hoje além do 22º lugar com 26.44. Sérgio Duarte voltou a ser o “elo mais fraco” do grupo, concluindo na 34ª posição com 35.46. Terminaram a prova 41 atletas.

A prestação no escalão de Juvenis teve sensivelmente o mesmo nível da prova de Distância Longa, ou seja, voltou a constituir a grande decepção no cômputo geral das nossas representações. Numa prova com a distância de 3,2 km (14 pontos de controlo, 255 m de desnível), Rafael Miguel foi desta feita o nosso melhor representante no 23º lugar com 26.25. Gonçalo Cruz terminou na 38ª posição com 30.22, enquanto João Delgado e Paulo Falcão alcançaram as 40ª e 41ª posições, com registos de 32.01 e 32.09, respectivamente. Finalmente, na 47ª posição com 36.40, Hélder Marcolino fechou - com toda a honra mas escassa glória! - o quinteto. A vitória coube ao sueco Fredrik Éden, com o excelente registo de 20.52, demonstrando assim que o 21º lugar da prova de Distância Longa não passou dum acidente de percurso. Marc Serralonga, juntou ao ouro da Longa uma medalha de prata e alcançou para a Espanha a única medalha individual no dia de hoje.

Medalheiro dominado pela Suécia

Contas feitas aos resultados individuais, o “Medalheiro” dos Campeonatos viu a Suécia reforçar a sua vantagem, graças às quatro vitórias nos quatro escalões onde apresentou equipas. Os suecos somam sete medalhas de ouro (em oito possíveis), duas de prata e duas de bronze. A Letónia segue no segundo lugar e reforçou a liderança no que ao número de medalhas diz respeito, tendo agora 11 no total (três de ouro, três de prata e cinco de bronze). Também com três medalhas de ouro, mas com menos uma de prata e menos duas de bronze está a Inglaterra. O quarto lugar é ocupado pela Espanha, com duas medalhas de ouro e duas de prata, enquanto a quinta posição pertence à Escócia com uma de ouro e uma de bronze. A Áustria, com quatro medalhas de prata e duas de bronze está no sexto lugar, enquanto Portugal é sétimo, com duas medalhas de prata. Apenas com uma medalha de prata surge a Itália na oitava posição, enquanto o nono lugar é ocupado ex-aequo pela França, Finlândia e Eslováquia, todas com uma medalha de bronze apenas.

.
[fotos gentilmente cedidas por Ricardo Chumbinho]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: