segunda-feira, 2 de março de 2009

XI MOC: KOWALSKI, A SURPRESA QUE VEIO DO LESTE


Regresso a Pataias para a prova de Distância Longa deste segundo dia do XI MOC, já sem a presença do seleccionado suiço. Muita luta e animação, competição ao rubro, um triunfo esperado de Signe Søes e a grande surpresa a vir do leste europeu, graças à concludente vitória de Wojciech Kowalski.

A ausência dos atletas suiços neste segundo dia de provas deixou em aberto a luta pelos primeiros lugares no escalão de Elite. Num terreno exigente do ponto de vista técnico e a apelar às capacidades físicas dos concorrentes, a ligeira vantagem do eslovaco Lukas Bartak (KOBRA) trazida da véspera não lhe conferia grande margem de tranquilidade. Bem diferente, a situação da dinamarquesa Signe Søes (Denmark Team) afigurava-se particularmente confortável, com uma larga vantagem sobre as suas adversárias mais directas e que, salvo qualquer imponderável, praticamente lhe garantia a vitória.

Com efeito Bartak não teve pernas para as exigências do mapa. Numa distância de 16,2 km, com 29 pontos de controlo, o atleta eslovaco viu a sua prova comprometida ainda na primeira metade, ao perder cerca de 1.30 no 10º ponto para os seus adversários mais directos. O andamento tornou-se mais lento a partir daqui e, apesar de não ter cometido grandes falhas até ao final, Lukas Bartak não conseguiria melhor do que a 8ª posição com 1.29.11. Algo desalentado, o eslovaco referiria no final que “a prova foi muito bonita mas estou realmente exausto. Foram dezasseis dias particularmente intensos aqui em Portugal e, no final, sinto-me muito, muito cansado.” A concluir, Bartak não se escusou a uma comparação entre os quatro dias do Portugal O’Meeting e estes dois dias do XI MOC: “Em Mora tivemos quatro dias de grande qualidade, competição muito dura, bons mapas e excelentes resultados, apesar de alguns pequenos erros nos dois últimos dias. Aqui os mapas e os terrenos eram igualmente muito bonitos, mas muito mais desgastantes fisicamente por causa do tipo de relevo e da areia. A prova de Distância Média até correu bastante bem mas esta Distância Longa de hoje foi, realmente, muito dura. Mas todos os aspectos organizativos, tanto numa prova como na outra, estiveram perfeitos.”

Vitórias de Kowalski e Signe Søes

Com Lukas Bartak “fora de combate”, as atenções centravam-se, pois, no polaco Wojciech Kowalski (GD 4 Caminhos), 8º classificado na véspera, e no dinamarquês Rasmus R. Søes (Denmark Team), recente vencedor do Portugal O’Meeting. O 16º lugar do primeiro dia obrigava Søes a ir à procura do prejuízo e foi precisamente isso que aconteceu. Uma boa primeira metade e o aproveitamento das falhas do seu mais directo opositor, conferiam-lhe uma vantagem de 5.18 no ponto 15, justamente a meio da prova. Mas Rasmus R. Søes deitaria tudo a perder nos quatro pontos imediatos, gastando quase seis minutos mais que o polaco e cedendo a liderança para nunca mais a recuperar. No final, vitória de Kowalski em 1.22.50, contra 1.23.22 de Rasmus R. Søes. Com 1.34.06, Tiago Aires viria a ser o melhor português no 11º lugar.


No sector feminino, Signe Søes confirmou o seu enorme favoritismo e alcançou uma vitória retumbante. Cumprindo os 10,1 km de prova (25 pontos de controlo) em 57.17, a atleta dinamarquesa juntou à vitória no Portugal O’Meeting de há cinco dias atrás a vitória neste XI Meeting de Orientação do Centro. Impressionante mesmo é a vantagem de 9.17 (!) sobre a 2ª classificada nesta prova, a atleta da Estónia, Kirti Rebane (Jüriöö OC), que assim alcançou o 2º lugar na Classificação Geral final deste XI MOC. Referência especial merece a portuguesa Raquel Costa, que voltou a ser a melhor portuguesa com 1.14.59, o que lhe valeu o 8º lugar na prova e um brilhante 6º lugar final.

Ori-Estarreja domina pódios da Formação

Nos escalões mais jovens, Rute Coradinho (GafanhOri) e João Pedro Casal (Ori-Estarreja) venceram em H/D13, enquanto Ebba Jansson-Järpling (OK Klemmingen) e Tiago Baltazar (GDU Azóia) levaram de vencida os escalões H/D15. Vera Alvarez (CPOC) vingou o 2º lugar do POM’09, levando de vencida Rita Rodrigues (GafanhOri) em D17, enquanto em H17 Rafael Miguel (Ori-Estarreja) fez “a prova da sua vida” e bateu a concorrência. Finalmente, em D20, vitória mais que esperada do fenómeno dinamarquês que dá pelo nome de Emma Klingenberg (Denmark Team), cabendo o primeiro lugar do pódio masculino de H20 de novo a um atleta do Ori-Estarreja, David Sayanda. Triunfo merecido de Sayanda, um dos nossos mais promissores atletas, tanto mais saboroso quanto conseguido ante os seus grandes adversários, Manuel Horta (GafanhOri) e João Mega Figueiredo (CN Alvito), respectivamente 6º e 8º classificados.

Rui Silva (.COM) venceu o escalão Jovens M B, a finlandesa Jenni Järvinen (Hämeenlinnan Suunistajat) triunfou em D21A (com Ana Porta Nova, do CPOC, a ser segunda) e o dinamarquês Sune Jorgensen (Denmark Team) levou de vencida o escalão H21A. Olga Pirrolas (Ori-Estarreja) e Ricardo Vieira (GC Figueirense) triunfaram em D21B e H21B, respectivamente.

Triunfo colectivo do GD 4 Caminhos

Quanto aos veteranos, João Casal (Ori-Estarreja) e Susana Pontes (CPOC) ganharam com brilho o escalão H/D35, Daniel Pires (ADFA) e Gabi Hunziker (OLG NOW) venceram em H/D40 e Santos Sousa (ADFA) e Bente Madsen (Tisvilde Hegn OK) foram os vencedores do escalão H/D45. Daqui para a frente já só deu atletas estrangeiros: Em H/D50, venceram Ulu Aeschlimann (Swiss Seniors) e Lisbeth Dahl (Helsingborgs OK); em H/D55, os vencedores foram Keld Johnsen (Tisvilde Hegn OK) e Paulina Majova (KOBRA); em H/D60, triunfos de Matti Railimo (Rastivarsat) e Margareta Ahlqvist (Sundbybergs IK); em H/D65, venceram Kurt Huber (Zoerinord) e Lena Leandersson (Älvdalens IF); e finalmente em H/D 70, vitórias de Bendt Frandsen (Farum OK) e de Gudrun Broman (GMOK).

Tal como sucedera no Portugal O’Meeting, o Grupo Desportivo 4 Caminhos venceu colectivamente, com um total de 3352,9 pontos. O 2º lugar coube ao CPOC com 3224,7 pontos, enquanto o Ori-Estarreja conquistou o 3º posto com 3048,7 pontos. Na 4ª posição ficou o Denmark Team com 2732,7 pontos, cabendo à ADFA o 5º lugar com 2703,9 pontos. No geral, classificaram-se 131 clubes ou selecções. As provas WRE despedem-se de Portugal por um largo período de tempo, regressando com o Portugal O'Summer, na última semana de Agosto, pelas mãos do Ori-Estarreja. Mas até lá não faltarão muitos e bons motivos de interesse, a começar já pelos inúmeros eventos agendados para dia 14 de Março, Dia Nacional da Orientação.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: