domingo, 1 de março de 2009

XI MOC: A CONFIRMAÇÃO SUIÇA


Enganaram-se rotundamente todos quantos pretendiam ver neste XI Meeting de Orientação do Centro uma extensão do recente Portugal O’Meeting. Dinâmicas organizativas diferentes e terrenos bem distintos – para além, naturalmente, do tempo – marcaram a diferença. De semelhante, mesmo, só os vencedores das provas principais. E, mesmo assim, nem todos!

A Orientação voltou a vestir-se de gala. Pataias, no concelho de Alcobaça, foi o palco escolhido pelo Clube de Orientação do Centro para a realização do XI MOC, revisitando alguns dos locais que mais gratamente persistem na memória de todos quantos viveram e sentiram o recente Campeonato do Mundo de Veteranos. Revistos em Dezembro de 2008, os mapas incidiram sobre a magnífica mancha de pinheiro bravo da Mata Nacional de Leiria, em terrenos dunares de invulgar encanto. “Posta a mesa”, a ementa fez-se duma prova de Distância Média WRE (pontuável para o ‘ranking’ mundial da modalidade), no dia de ontem, fechando com uma prova de Distância Longa, já hoje.

Registando a boa presença de 905 participantes, o XI MOC contou com alguns dos nomes mais sonantes do panorama orientístico mundial. Apesar de presente apenas no primeiro dia, a fortíssima selecção Suiça constitui uma verdadeira cabeça de cartaz, apresentando todos os seus nomes grandes, aos quais se juntaram atletas de mais 15 países, perfazendo quase três centenas e meia de estrangeiros. A prova pontuou igualmente para o ‘ranking’ da Taça de Portugal, motivo pelo qual os atletas portugueses marcaram forte presença. Com tantos e tão saborosos ingredientes, só mesmo S. Pedro se mostrou alheado da festa, oferecendo dois dias cinzentões, com alguma precipitação à mistura, mas que em nada prejudicou o normal desenvolvimento do programa.

Suiços inexpugnáveis

Aguardada com enorme expectativa face ao valor dos elementos em presença, a prova de Distância Média não defraudou as expectativas. Vencedores da prova de Distância Longa WRE do passado domingo, no âmbito do Portugal O’Meeting 2009, Matthias Merz e Simone Niggli confirmaram o favoritismo e repetiram os triunfos nos escalões de Elite. Para os atletas suíços foi o “fechar com chave de ouro” uma estadia de duas semanas intensas, distribuídas por três provas e muitas sessões de treino, preparando a dura época que se avizinha.




Liderando uma verdadeira armada suiça - que se revelou demasiado forte para a concorrência, colocando 12 atletas seus nos dezanove primeiros lugares da classificação masculina -, Matthias Merz concluiu os 7,6 km de prova (28 pontos de controlo) em 33.59, menos 38 segundos que os seus companheiros Matthias Müller e Daniel Hubmann. O eslovaco Lukas Bartak (KOBRA) foi o primeiro atleta “não suíço” a completar a prova, alcançando o 7º posto com 36.45, ao passo que o melhor português, Diogo Miguel (Ori-Estarreja), terminou no 28º lugar com um registo de 40.20. No que as senhoras diz respeito, Simone Niggli gastou 34.38 para 6,4 km de prova (30 pontos de controlo), deixando atrás de si a norueguesa Marianne Andersen (Konnerud), com 35.18, e a vencedora do POM’09, a dinamarquesa Signe Søes (Denmark Team), com 35.20. Nos 25 primeiros lugares é possível perceber 13 atletas suíças, com Raquel Costa (GafanhOri) a intrometer-se neste compacto lote e a alcançar uma brilhante 19ª posição, com 44.43.

“Os excelentes mapas e o sol”

Ao encontro dos vencedores, foi possível escutar as impressões de Matthias Merz: “Foi mais uma boa corrida. Na prova de Distância Longa WRE do Portugal O’Meeting ainda cometi um erro pequeno mas aqui fiz uma prova limpa. Foi bom mas, claro, estamos ainda em Fevereiro e há ainda um longo caminho a percorrer. Em termos absolutos estas vitórias não têm um grande significado mas são sempre importantes para dar alguma auto-confiança no início da temporada.” Em termos de balanço, Matthias acrescentou: “Estivemos aqui a treinar durante a última semana e os terrenos são muito bons. Hoje em particular achei o mapa excelente. Desta estadia levo gratas recordações, dos terrenos arenosos e muito rápidos ao tempo de sol maravilhoso que apanhámos.”

Quanto a Simone Niggli, começou por afirmar: “É muito importante voltar às provas e encontrar um nível competitivo elevado como aconteceu em Portugal. Não consigo avaliar concretamente o meu estado de forma mas sinto que estou no bom caminho de regresso ao topo.” Estabelecendo uma comparação entre a prova de hoje e a do passado domingo, Simone considerou que “aqui o terreno é mais exigente e depois duma semana intensa de treinos senti que as minhas pernas não estavam tão frescas como na prova de Distância Longa WRE do Portugal O’Meeting.” E a terminar: “Foram duas semanas maravilhosas de treinos e competição e levo na lembrança sobretudo os excelentes mapas e o sol.”

Um livro de aventuras com a Orientação em pano de fundo


Antes da cerimónia oficial de entrega de prémios, a Organização do XI MOC abriu um parêntesis para a apresentação do livro “O Enigma dos Sacos Trocados”, da autoria da professora Maria Manuela Ribeiro e editado pela Âmbar. Um livro que narra a emocionante aventura de quatro alunos que resolvem descobrir o porquê dum misterioso encontro de duas personagens em plena floresta. Com a curiosidade destas personagens serem atletas gregos de Orientação a preparar a sua participação num (improvável) Campeonato do Mundo no nosso País. Muita e boa leitura, condimentada com sucessivas piscadelas de olho à nossa modalidade, fazem deste livro um verdadeiro prazer.

Consulte resultados completos AQUI.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: