terça-feira, 10 de março de 2009

ESTÁGIO DO DESPORTO ESCOLAR EM MADRID: ALGUMAS REACÇÕES


Concluído o estágio de preparação para os Mundiais de Orientação de Desporto Escolar ISF 2009, o Orientovar deixa hoje as impressões de mais alguns jovens acerca desta valiosa experiência.

“Os treinos foram muito bons, fisicamente exigentes por causa do desnível. Colectivamente espero ficar nas três primeiras escolas. A nossa equipa está muito unida e tem treinado bastante, este estágio é mais um momento importante para preparar o ISF. Gostei bastante do último treino que era uma competição de Distância Média. Individualmente estou com mais ambições na prova de Distância Média onde um bom resultado seria ficar nas dez primeiras.”

Ana Coradinho (EB 2,3 Cunha Rivara – Arraiolos; D1 Escola)


“O balanço do estágio é bem positivo, pois a Organização foi boa e apenas nos perdemos algumas vezes a caminho dos mapas. O estágio foi muito importante pois dá-nos mais confiança. A nível colectivo, um bom resultado para a nossa Escola seria ficar nas cinco primeiras escolas, tendo em conta que somos as cinco atletas do primeiro ano de Iniciadas. Individualmente gostaria de, na prova de Distância Longa, ficar nas cinco primeiras classificadas.”

Sofia Anjos (EB 2,3 Cunha Rivara – Arraiolos; D2 Escola)

“Foi um bom estágio e penso que este tipo de iniciativas são muito importantes pois permitem prepararmo-nos para as competições. O treino que gostei mais foi o dos loop´s. Penso que ainda é possível melhorar fisicamente até ao Mundial, principalmente nas subidas. Um bom resultado seria ficar nos dez primeiros lugares em qualquer uma das distâncias.”

Tiago Baltazar (EB 2,3 NR Soromenho – Sesimbra; H2 Selecção)


“O terreno é muito interessante e onde senti mais dificuldades foi nos detalhes de relevo e no desnível. Penso que a prova que se adapta melhor às minhas características é a Longa e tenho como objectivo ser o melhor português. Estes estágios são óptimos, conhecemos novos terrenos, novos métodos de treino. O grupo está cada vez mais forte, já nos conhecemos a todos e sinto-me muito bem aqui.”

Gonçalo Cruz (ES Santa Maria – Sintra; H1 Selecção)

“Este estágio vem desenvolver ainda mais o trabalho que temos vindo a fazer para o ISF, não só a nível físico mas fundamentalmente a nível técnico. Temos por objectivos como escola, e tendo em conta os resultados nos anos anteriores, de ficar nas cinco primeiras escolas. Adorei a bela vista que se tem ao longo de todo o mapa e a fácil progressão do terreno. O mais complicado é mesmo o desnível. O estágio tem sido muito bom n só para a minha escola como para todo o grupo.”

Ricardo Reis (ES Palmela; H1 Escola)


“Gostei muito do percurso formal que fizemos no sábado de manhã, o que menos gostei foi do pequeno-almoço de sábado. Como escola gostaríamos de ficar nas primeiras cinco escolas, o que já seria um excelente resultado.”

João Pedro (EB 2,3 Cunha Rivara – Arraiolos; H2 Escola)

“Estes estágios são muito importantes e podem contribuir para melhorar os resultados, quer no ISF, quer no futuro em outras competições, em particular o EYOC 2010, em Espanha. O meu objectivo passa por ficar nas cinco primeiras classificadas, o que já seria óptimo tendo em conta que o nível nas Selecções é mais exigente.”

Vera Alvarez (EB 2,3 Sarrazola – Colares; D2 Selecção)


“O estágio foi fixe, aprendi a melhorar a técnica nas curvas de nível, pois não dava grande importância e agora dou mais. Este estágio permite-nos habituar ao terreno um mês antes da competição, num terreno que é bem diferente de Portugal. Os meus objectivos pessoais passam por fazer uma boa prova e conhecer novas pessoas e aprender coisas novas.”

Catarina Lopes (ES Pinhal Novo; D2 Selecção)


“Este fim de semana eu, o Manuel Horta e o Domingos Martins estivemos presentes no estágio organizado pelo DesportoEescolar para os atletas convocados para o Campeonato do Mundo. Estivemos presentes com a autorização do Director Técnico Nacional (António Aires) e do responsável do Desporto Escolar de Orientação (Ricardo Chumbinho). Decidimos participar neste estágio, pois pretendíamos treinar tecnicamente em terrenos novos e em terrenos onde nunca antes tínhamos feito Orientação. Para além do convívio habitual e da boa disposição dos estágios de Orientação, aproveitámos para apurar a técnica e a leitura do mapa. Gostámos particularmente do terreno, pois nalguns pontos tínhamos de escolher a melhor opção para não nos desgastarmos muito, já que os percursos tinham grande desnível acumulado, o que acabava por nos obrigar a contornar montes e colinas. Este estágio foi importantíssimo para melhorar a nossa técnica pois eram terrenos diferentes, mas também para melhorar o nosso físico, face ao grande desnível.

Filipe Salgado (Gafanhori)
.
"Este estágio foi algo acima das expectativas. Algum tempo antes do estágio já tinha visto os mapas e realmente observei que os terrenos seriam algo espectacularmente diferente do que já vi, mas ao chegar ao terreno o que vi ainda foi acima do que esperava, um verdadeiro Colorado aqui ao lado. O terreno era constituído por colinas de declive acentuado, abundante em falésias e escarpados, em maior parte da sua área sem qualquer tipo de vegetação e na restante floresta limpa com visibilidade pouco reduzida, tudo isto em solo árido. No treino de escolha de opções, onde sem qualquer erro técnico relevante fiz um ritmo de quase 10 minutos por quilometro, coisa que não acontecia desde a altura em que os erros técnicos me custavam muitos minutos. Ou seja, o terreno é de uma dificuldade física fora do comum. Penso que o mapa ainda ficou com muito para explorar e tenciono regressar lá assim que me for possível."
.
Manuel Horta (Gafanhori)

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: