sexta-feira, 13 de março de 2009

DIA NACIONAL DA ORIENTAÇÃO: HOJE FALO EU!


Começou por ser um sonho de todos, tornado realidade pelo querer e empenho de cada um. O Dia Nacional da Orientação promete transformar-se numa inesquecível jornada, promovendo e divulgando a modalidade, tornando mais coeso e consistente este espírito de querer e de vontade que nos une.

Olho para trás e é como um relâmpago num céu azul. O Orientovar lançou a ideia de criar um Dia Nacional da Orientação e, num ápice, um turbilhão de vozes se ergueu, formando um coro de aclamação. Mais importante do que a ideia foi, pois, essa vontade indómita de a pôr em prática, ousando desafiar preconceitos e afirmando a certeza das nossas qualidades e capacidades.

Rejeitando desperdícios de tão grande capital de entusiasmo, a estrutura federativa tratou de encontrar uma data. Chamado a pronunciar-se, o Professor Ricardo Chumbinho apontou o dia 14 de Março como o mais adequado, levando em linha de conta, sobretudo, os calendários escolares. Será sempre nesse autêntico viveiro que, prioritariamente, a modalidade deve investir. Adapte-se a data ao Desporto Escolar que os clubes adaptar-se-ão à data. Esteve bem, pois, Ricardo Chumbinho.

Como bem estiveram todos os clubes, independentemente de terem ou não provas agendadas para esta data. Apesar dos óbvios prejuízos que a situação possa ter acarretado, sobretudo para clubes como o GD 4 Caminhos e para o GDU Azóia, é sintomático o facto de terem, ainda assim, acolhido entusiasticamente a iniciativa, integrando-a nos seus eventos e promovendo-a ao mais alto nível.

Lançando um olhar pelas actividades previstas para este Dia Nacional da Orientação, é motivo de orgulho tanta qualidade e variedade num programa de riqueza ímpar, bem demonstrativo das potencialidades e da versatilidade da modalidade de todos nós. As actividades programadas incidirão não apenas na Orientação Pedestre, mas também na Orientação em BTT e nas Corridas de Aventura, abrangendo todos os gostos e sensibilidades. Para além de iniciativas de âmbito mais generalista, estão previstas actividades especificamente voltadas para as famílias ou para as escolas. E fez-se questão de incluir o cidadão com deficiência fisica nesta grande festa, com uma actividade específica de Trail-O destinada a pessoas em cadeira de rodas.

Todavia, por muito motivador que seja o que acima ficou descrito, não podemos desviar as nossas atenções, por pouco que seja, daquele que é o grande objectivo da iniciativa: A promoção e divulgação da modalidade. Que balanço podemos desde já estabelecer? Dentro dos clubes, que meios de divulgação foram empenhados no sentido de dar visibilidade à iniciativa? E, em particular, que investimento fez a Federação Portuguesa de Orientação numa iniciativa que é, para todos os efeitos, sua? No limite, quantas pessoas em Portugal saberão que o dia 14 de Março é o Dia Nacional da Orientação?

Enquanto estas e outras perguntas ficam no ar à espera duma resposta, preparemo-nos para abraçar com entusiasmo este dia tão singular. E que todos saibamos levar o esforço até ao fim, fazendo chegar o mais longe possível a força do nosso querer. Que este seja o primeiro de muitos Dias Nacionais da Orientação, cada um melhor que o anterior.

Este espaço fica agora aberto aos comentários de todos. Que o inundem de relatos de experiências fortemente vividas e sentidas, é o meu maior desejo.

Bem hajam!

Uma grande e sentida saudação orientista.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: