segunda-feira, 16 de março de 2009

6ª ETAPA DO III TROFÉU ORI-ALENTEJO: AS IMPRESSÕES DE MIGUEL SILVA E PAULO FRANCO


Na senda desta 6ª etapa do III Troféu Ori-Alentejo, aqui ficam os testemunhos dos dois primeiros classificados, Miguel Silva e Paulo Franco.

“Reconheço que fiquei no mínimo curioso e expectante quando tomei conhecimento que o mapa desta etapa do Ori-Alentejo iria utilizar parte do mapa da Estrelada e uma nova área. A minha última experiência neste mapa não tinha sido propriamente trivial e senti-me desafiado pelo potencial desta área para me "quebrar a cabeça".

O ‘speaker’ estava imparável e já se ouviam os primeiros nomes. Quando peguei no mapa só pensava: "Tenho de arrancar tranquilo, entrar no mapa, isto não é fácil, não podes falhar o primeiro". A verdade é que a primeira parte do percurso estava talhada para meter "prego a fundo".

O mapa é constituído por duas áreas completamente distintas, a zona sul, com área aberta e alguns detalhes rochosos e a zona norte, fechada com bastante vegetação e muito rica em detalhes rochosos. Os quatro primeiros pontos do percurso eram na zona sul, tentei ganhar algum tempo nesta zona, de facto o primeiro não falhei, mas hesitei um pouco para o segundo, a escala do mapa era 7:500…

Depois do ponto de espectadores (ponto 5) entrávamos no ‘quebra-cabeça’, na zona norte. Foi de facto muito boa a experiência. Concentração máxima e obrigatória, que infelizmente nem sempre consegui. A área era pequena mas o percurso estava bem traçado, com soluções possíveis (na maior parte das pernadas) para contornar os maléficos verdes. Perdi muito tempo depois do segundo ponto de espectadores (ponto 11), mas pelo que percebi todos perdemos... É sem dúvida um bom treino para voltar a fazer daqui a uma par de semanas!

Como tínhamos planeado, eu, o Miguel Silva, Jorge Fortunato, Filipe Dias e Paulo Pereira ficámos por Arraiolos e fomos treinar à tarde. Fizemos então um percurso misto de cidade e floresta na Vila do Sabugueiro (3,4 km esc. 1:4000) e voltámos ao inevitável mapa do Esbarrondadouro (6,3 km 1:1000). Um domingo a encher as medidas, 3 mapas, 22 km, 62 pontos, 2h30m de orientação! Temos de voltar a repetir este tipo de Domingo...

Quero desde já deixar o meu enorme agradecimento ao Tiago Aires e ao Gafanhori pelo oportunidade de treinar nestes mapas e obviamente por mais uma excelente Organização. A nova área do mapa é sem dúvida uma mais valia para a nossa Orientação.

Houve ainda oportunidade para conhecer os novos equipamentos do Gafanhori, que na verdade estão muito bem conseguidos. Parabéns!”

Paulo Franco
COC


“A primeira prova do Troféu Ori-Alentejo em que participei foi em Coruche e, devido à sua qualidade, tento participar desde então nas provas desta competição.

A prova deste fim-de-semana, como todas as outras, teve um elevado padrão de qualidade: mapas e percursos excelentes seriam suficientes mas o Gafanhori conseguiu juntar a estes um ambiente fantástico, com dois pontos espectadores e acompanhamento ao minuto.

O início foi rápido mas logo se entrou na zona em que decorreu a maior parte da prova, com um terreno muito fechado, de difícil progressão e com muitos detalhes rochosos. Para mim foi um óptimo treino uma vez que este é o tipo de terreno em que tenho mais para evoluir.

Eu, o Paulo Franco, o Jorge Fortunato e o Paulinho ainda tivemos a oportunidade de ficar para a tarde e treinar nos mapas de grande qualidade do Gafanhori, totalizando mais de 23km de Orientação num dia com balizas marcadas. Melhor era impossível!”

Miguel Silva
CPOC


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


.

Sem comentários: