terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

PORTUGAL O'MEETING 2009: "PODERIA COMEÇAR AMANHÃ!"


A pouco mais de quinze dias do grande evento português da temporada, o Orientovar vai ao encontro do Portugal O’Meeting e do CPOC, o clube organizador. Pela mão de Luís Santos, somos conduzidos pelos meandros duma engrenagem substantiva, com muito trabalho, dedicação e paixão de permeio.

Orientovar (O.) - Entrámos em Fevereiro e isso significa que estamos muito próximos do POM, o maior evento de Orientação Pedestre que se realiza em Portugal este ano. Consegue, sumariamente, traçar-nos a história desta edição do evento? Que significado tem para o CPOC a organização do POM'09?

Luís Santos (L.S.) - Consultando as minhas "labels" do gmail, é fácil constatar que a primeira mensagem data de 19 de Dezembro de 2006, aí dando conta do encontro da véspera na Câmara Municipal de Mora. Essa reunião serviu para preparar os Campeonatos Nacionais que se realizaram em Mora em Abril de 2007 mas também para lançar o Portugal'O'Meeting. No entanto o projecto tinha começado mais cedo, pois quando contactámos a Câmara Municipal de Mora no início de 2005, na preparação do I Troféu Internacional de Mora (Março de 2006), apresentámos uma proposta a 4 anos que culminava com a possibilidade de organizarmos o Portugal'O'Meeting 2009.

Penso que desde 2004 que sentimos ter capacidade para organizar o POM mas sempre receei envolver o grupo numa prova desta dimensão e sempre nos sentimos satisfeitos e realizados com os diversos eventos que fomos promovendo desde a nossa criação. Voltando aos passos que levaram à existência deste POM 2009 em Mora, a candidatura foi apresentada à FPO em Maio de 2007 e, como a comunicação com os outros grandes clubes portugueses é muito boa, já todos tinham noção que, com a nossa capacidade organizativa e com o facto de nunca termos organizado o POM, dificilmente perderíamos esta aposta. Por isso acabou por ser a única candidatura ao POM deste ano e logo aí penso que começámos bastante bem, com um projecto técnico bem delineado pelo Tiago Aires e com a coordenação da equipa já a pertencer ao António Rodrigues como responsável máximo do POM e a mim como Presidente do clube.

O. - Que balanço se pode fazer do trabalho já realizado?

L.S. - Ainda no passado sábado, dia 31 de Janeiro, quando regressava de Mora, comentei que o POM “poderia começar amanhã!”. É um pouco exagerado, naturalmente, mas já estão muitas horas investidas neste evento, o trabalho técnico praticamente concluído e só o trabalho logístico e de divulgação é que ainda tem muito por fazer.

Neste momento, considerando tudo o que já fizemos, as nossas preocupações centram-se principalmente nos difíceis acessos do 2º dia (o WRE) que está muito dependente das condições climatéricas. Já alterámos diversas vezes o plano logístico para este dia e fizemos, inclusivamente, algo que deve ser verdadeiramente invulgar que foi planear dois conjuntos de percursos diferentes, um com uma Arena espectacular e uma óptima animação desportiva caso pudéssemos contar com bom tempo e outra com percursos delineados de forma diferente para uma prova mais "segura" e concretizável. Infelizmente precisaríamos de ter a garantia de vários dias sem chuva para optar pela solução do "sol" e este Inverno não está a dar-nos facilidades nesse sentido. Por isso preferimos garantir espectáculo para os outros três dias e assegurar para este dia locais que nos dão garantias de conseguir montar a Arena, na certeza de que a qualidade técnica do evento irá fazer esquecer a ausência de um ponto de espectadores ou a distância do estacionamento à zona do mapa. A zona é maravilhosa, desde as águias no céu, aos gamos e aos javalis, passando pelas lontras e tartarugas na ribeira. É um sonho! Nenhum outro local do POM dá esta noção de distanciamento do impacto humano... Mas o facto do alcatrão mais próximo da Serra de Brissos ficar a 4 km de distância tornou o planeamento do evento invulgarmente complexo.


O. - Que meios estão envolvidos no processo de preparação e implementação do evento e quais as maiores dificuldades sentidas até ao momento?

L.S. - O CPOC, sozinho, não conseguiria garantir metade do que estamos a preparar para o evento. Dos 83 elementos que irão estar na Organização, cerca de 20 trabalham há muitos meses na sua preparação. Mas é a complementaridade de outros elementos - dos quais destaco o Tiago Aires e a Raquel Costa na parte técnica - que nos permitem ir mais longe. Destacaria ainda a Escola Superior de Saúde de Alcoitão na área da Fisioterapia, o Jorge Dias a garantir a fotografia do evento, a FPO com um apoio material magnífico, permitindo-nos tirar muitos benefícios do recente WMOC 2008, mas sobretudo o trabalho e acompanhamento da Câmara Municipal de Mora. A título de exemplo, normalmente são utilizados nos pontos de controlo estacas de alumínio cedidas pela FPO. Para aliviar o trabalho da equipa técnica, para enquadrar melhor os pontos de controlo na envolvência paisagística e para reduzir ao máximo a possibilidade de erros na marcação de pontos, optámos por solicitar à autarquia suportes de madeira para colocarmos no terreno. E não imagino quantos dias terão estado os carpinteiros da câmara a trabalhar para nós de forma a permitir termos já montados no terreno cerca de 420 suportes de madeira referentes aos quatro dias de evento e ao “model event”.

O. - Mas há mais apoios...

L.S. - Bom, os principais já os destaquei, casos da CM Mora e da FPO. Estamos a negociar outros mas temos já alguns garantidos que foram importantes para a viabilidade financeira do evento - desses destaco a SportZone que irá apoiar o POM 2009 com as t-shirts que serão oferecidas a todos os participantes. Apoios significativos em vertentes diferentes destaco o Fluviário de Mora, que irá conceder um desconto de 10% a todos os participantes do POM e oferecerá entradas aos vencedores do OriShow, Nocturna e WRE, e principalmente a TVI, com quem temos já acordada a transmissão de uma reportagem no Jornal da Noite de 2ª feira, dia 23.

O. - As inscrições continuam a chegar em excelente ritmo e perspectiva-se um POM muito participado. Que expectativas estão criadas, que dificuldades acrescidas, que soluções?

L.S. - O recorde estabelecido pelo POM 2007 do Ori-Estarreja, em São Pedro do Sul (no qual tive a felicidade de ser Supervisor), com 1565 participantes, não é nada fácil de alcançar. As inscrições de atletas estrangeiros estão realmente a surgir em bom ritmo, com excepção das Selecções estrangeiras. Comparativamente com 2007, por exemplo, temos menos Selecções (contamos com a Suíça, Republica Checa, Dinamarca e Irlanda).

Fizemos um investimento forte na divulgação internacional, num trabalho conjunto com o COC na promoção do seu WRE do fim-de-semana seguinte, que parece ter sortido bons efeitos. Mas com a complicada conjuntura económica internacional, já ficaríamos satisfeitos com 1200 participantes; e esse número iremos superar sem dificuldades. Actualmente estão 900 inscritos e ainda faltam alguns grandes clubes portugueses e grupos de Mora, quer das escolas quer dos participantes de 3ª idade, pelo que contamos ficar perto dos 1500 participantes.

De qualquer forma, como havia várias condicionantes que tornavam muito difícil prever o número aproximado de participantes (conjuntura internacional, o WMOC 2008, o POM 2007 e o POM 2008 com redução de quase 400 participantes, etc) estamos a preparar tudo para um número máximo de 2000 participantes.

As principais dificuldades estão, na minha perspectiva, a incidir num único aspecto logístico - os acessos e os estacionamentos. Essa já foi uma das grandes condicionantes do POM 2007 e voltará a ser agora em 2009. Os locais são muito bonitos mas encontrar bons espaços que permitam acolher um elevado número de viaturas não é fácil e as condições climatéricas ainda tornam mais difícil essa tarefa. Neste momento, quem se prevê que fique em piores condições, são os participantes que nos vão visitar de autocarro, pois do segundo ao quarto dia ficarão sempre mais longe que os outros.


O. – Face ao trabalho que ainda há pela frente, o que é que continua a não o deixar dormir descansado?

L.S. - As condições climatéricas!... Estamos a preparar-nos para o pior. Mas sei bem o desgaste que envolve uma Organização com mau tempo e as diferenças do nível de apreciação pelos participantes se tivermos sol ou chuva. Quando preparámos a prova no Parque da Pena em Sintra, havia dias que aquela floresta era o Paraíso na Terra. Mas houve outros com chuva intensa e vento forte que parecia o fim do Mundo... Agora sinto o mesmo... Por mais que trabalhemos, a diferença entre um POM com quatro dias de sol ou um POM com quatro dias de chuva é enorme. De resto tudo faremos para estarmos de consciência muito tranquila, que trabalhámos bem para agradar a todos e mesmo a chuva não costuma tirar-me o sono. Até me ajuda a dormir melhor...

O. - Gostaria de deixar algumas recomendações àqueles que se deslocarão a Mora, de 21 a 24 de Fevereiro?

L.S. - Há dois ou três concelhos, incluindo Mora, que devem ter actualmente todos os alojamentos esgotados, pelo que, se deixaram para a última hora, contactem-nos que nós ajudamos a arranjar alojamentos consideravelmente perto das zonas do evento. Se o tempo ajudar, levem as mochilas para as Arenas, usufruam dos espaços que vos iremos oferecer, da animação que iremos ter, dos almoços do bar, das massagens retemperadoras da fisioterapia, dos insufláveis do baby-sitting e dos espaços verdes que vos rodeiam. Leiam com atenção tudo o que vamos divulgando no site. Será certamente útil para vos facilitar a vida em Mora. No secretariado iremos entregar a todos o boletim final que será um pequeno livrinho que irá resumir toda a informação do site. Sejam compreensivos, pois muitas vezes as organizações facilitam (nós também) nalguns aspectos organizativos, mas aqui não iremos facilitar para podermos ter uma gestão do evento mais equilibrada. Ninguém irá ter a possibilidade de mudar horas de partida à última da hora nem poderão partir se esqueceram o peitoral, a título de exemplo.

O. - Como é que motivaria os indecisos, se é que ainda os há?

L.S. - Se estão a dar os primeiros passos, não se assustem com a dificuldade técnica que os excertos de mapa podem indiciar. Iremos ter técnicos disponíveis para ‘briefings’ no primeiro dia e os escalões de formação e abertos são naturalmente acessíveis e proporcionam certamente bonitas caminhadas (ou correrias...). Escolham as propostas que oferecemos que mais vos atraiam. Temos participantes que só vão à nocturna, outros que só vão ao OriShow... Há muito para visitar em Mora, desde o Fluviário (num dos limites do mapa do 1º dia) a vários monumentos megalíticos (nos vários dias do POM há quatro pontos de controlo situados em antas...), actividades para desenvolver (vejam o que vos oferecem as Azenhas da Seda, por exemplo).

[Saiba tudo em http://www.cpoc.pt/eventos.php?ev=pom2009_pt]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: