sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

POM'09 DAY4: NO LAVAR DOS CESTOS


Mas a competição neste Portugal O’Meeting não se resumiu aos escalões de Elite. Houve resultados para todos os gostos e, entre os muitos estrangeiros que subiram ao pódio, houve algumas saborosas surpresas bem portuguesas.

Começando pelos escalões de Formação, merece particular destaque a vitória de Manuel Horta (GafanhOri), no escalão H20. Uma vitória com um sabor muito especial para o jovem e promissor atleta, sobretudo por ter sido alcançada na sua terra, Pavia. Uma vitória retumbante, “arrancada a ferros” ante adversários de tanto valor como Michal Olejnik (Polish Júnior Team), Pol Rafols Perramon (GD4Caminhos), Rasmus Kiilerich Kragh (SunO / Denmark Team) ou os portugueses João Mega Figueiredo (CN Alvito) e David Sayanda (Ori-Estarreja). Efusivamente saudada, Rita Rodrigues (GafanhOri) foi a outra presença portuguesa no lugar mais alto do pódio, no escalão D17. Vitórias no 2º e 3º dias, um 2º lugar no 4º dia e um 5º lugar a abrir o POM conferiram-lhe um saboroso triunfo ante uma cada vez mais surpreendente Vera Alvarez (CPOC).

Em H13, a vitória foi para Pierre Martinez (BROS), com Nélson Santos (OriMarão) e João Pedro Casal (Ori-Estarreja) a secundarem o pequeno gaulês no pódio. Também em D13 se assistiu a uma presença francesa no lugar mais alto do pódio. Julie Roulleaux (Club Orientacion Loisirs) venceu, seguida de Inês Alves (GD4Caminhos) e de Rute Coradinho (GafanhOri). Os suíços Joël Borner e Sandrine Müller, ambos da turma OLV Zug, levaram de vencida os escalões de H15 e D15, respectivamente. Tiago Baltazar (GDU Azóia) foi 2º em H15, seguido de João Cascalho (GafanhOri). Nas D15, o emblema da GafanhOri voltou a merecer destaque especial, com Inês Catalão a ocupar o terceiro lugar. O eslovaco Robert Barcik (SunO / KOBRA) venceu em H17, com Rafael Miguel (Ori-Estarreja) a ser o melhor português na 5ª posição. A super-favorita Emma Klingenberg (Sun O / Denmark Team) triunfou em D20, escalão no qual Joana Costa (GD4Caminhos), graças a um POM’09 espectacular, arrancou um brilhante 2º lugar.

Bruno Fundo e Laurinda Alves, ambos do OriMarão, levaram a melhor em Jovens M/F B. Pekka Huusari e Salla Tiihonen, atletas finlandeses do Lahden Suunnistajat, foram os vencedores nos escalões H21A/D21A, com Davide Machado (.COM) na 7ª posição e Isabel Bonifácio (GD4Caminhos) no 9º lugar a cotarem-se como os melhores portugueses. Vitórias portuguesas também em H21B/D21B, graças aos excelentes desempenhos de Orlando Barros (GDE) e Rita Guilhoto (ATV).

E quanto aos Veteranos…

Passando aos escalões de Veteranos, também aqui a supremacia foi dos atletas estrangeiros, com uma ou outra saborosa surpresa de permeio. O destaque vai inteirinho para a vitória de Santos Sousa (ADFA), no escalão H45, com Manuel Luís (CP Armada) a alcançar, também ele, um honroso terceiro lugar neste escalão. Em H35/D35, vitórias de Pekka Lauri (Keravan Urheilijat) e de Sabrina Meister (OLG Dachsen), com Jorge Correia (ADFA) e Anabela Vieito (COC) a serem os melhores portugueses nos 2º e 5º lugares, respectivamente. Quanto aos escalões H40/D40, vitórias de Alastair Landels (Auckland OC) e Cornelia Müller (OLV Zug), com Xavier Vieira (CA Madeira) na 3ª posição e Teresa Marques (AA Mafra) em 8º lugar a cotarem-se como os nossos melhores representantes. Em D45, a sueca Pia Gustafsson (Linkopings OK) foi a grande vencedora, com Luísa Mateus (COC), na 7ª posição, a ser a melhor portuguesa.

Daqui para a frente só deu mesmo estrangeiros. Per-Olof Derebrant (AnebySOK) e Line Roirand (Crensoa) triunfaram em H/D 50, Bjoern Grinde (Nydalens SK) e Paulina Majova (SunO / KOBRA) em H/D55, Etienne Bousser (CS Eis) e Paula Honkavaara (Delta) em H/D 60, Roland Nilsson (G50) e Torid Kvaal (Freidig) em H/D65, Gunnar Østerbø (Freidig) e Gudrun Broman (GMOK) em H/D 70, Sture Pettersson (G50) e Barbro Rydén (SOL Tranås) em H/D75 e Birger Garberg (TT Tur / Ringerike OL) e Pen Harwood (Moravian OC), em H/D80. Quanto aos melhores portugueses, Albano João (COC) foi o 12º classificado no escalão H50, Isabel Monteiro (COC) alcançou um excelente 7º lugar em D50, Manuel Dias (Individual) e Jacinto Eleutério (ADFA) foram, respectivamente, 6º e 7º classificados em H55, Maria São João (CLAC) alcançou o 9º lugar em D55, Francisco Coelho (Clube TAP) foi o 18º classificado em H60 e Armadino Cramez (Ori-estarreja) alcançou o 11º lugar em H65. Fica ainda a curiosidade de Edlef Bandixen (SwissO T / OLG Schaff), segundo classificado no escalão H80, ter sido o mais idoso atleta em competição, com a bonita soma de 82 anos. Em termos absolutos, porém, o atleta mais idoso foi uma senhora de 92 anos, participando nos escalões abertos apenas no primeiro dia de provas e integrando o grupo da terceira idade da Câmara Municipal de Mora.



Vitória colectiva do GD 4 Caminhos

Em termos colectivos, a vitória pertenceu ao Grupo Desportivo 4 Caminhos com um total de 6720,2 pontos. Para tal, muito terão contribuído os preciosos pontos alcançados pelos seus reforços internacionais, casos do romeno Ionut Zinca, da espanhola Ona Rafols ou dos polacos Wojciech Dwojak e Wojciech Kowalski. Com 6311,9 pontos, o Clube de Orientação do Centro concluiu na segunda posição, cabendo o terceiro lugar ao Clube Ori-Estarreja com 6144,1 pontos. A ADFA foi quarta classificada com 5248,1 pontos, logo seguida do SunO /Denmark Team, com 5187,7 pontos, e do GafanhOri, com 4079,2 pontos. Classificou-se um total de 257 clubes ou selecções.


No “lavar dos cestos”, foram muitos aqueles que quiseram prolongar um espaço e um tempo magníficos, desfrutando do radioso sol que inundava a bela e vasta Arena. O Orientovar foi ao encontro de algumas opiniões e registou um sentimento generalizado de enorme satisfação. Annika Björk (Helsingin Suunnistajat) manifestava assim o seu contentamento: “Tecnicamente devo ter feito uma das melhoras corridas da minha carreira. O terreno era muito difícil e corri como um deus (risos). O mapa de hoje era perfeito, o mapa mais fantástico que alguma vez corri. E depois este tempo e esta fantástica Organização… Penso que é ainda melhor que na Suécia. Não há nada a apontar, é realmente fabuloso estar aqui”. Baptiste Rollier (SunO / Swiss OTeam) afinava pelo mesmo diapasão: “Numa primeira análise dos mapas, poderíamos pensar que era sempre a mesma coisa, sem encerrar grandes desafios. Mas no terreno vemos que não é isso que se passa e são realmente muito técnicos. É excelente estar aqui nesta altura do ano, sem neve, com uma óptima temperatura.”

Uma das grandes figuras presentes em Mora, a checa Dana Brozkova (O-Portugal / Czech O-Team), Campeã do Mundo de Distância Longa WOC 2008, era a imagem da satisfação: “Adorei a prova. Era muito técnica, com algumas partes realmente desafiantes. Cometi alguns pequenos erros, não corri de forma fluida mas gostei muito e o mapa é excelente. Treinar e competir aqui é muito bom. Na República Checa não temos terrenos assim tão bonitos. O tempo também está incrível, com este sol e este calor. O tempo e os terrenos são perfeitos. Agora só penso em recuperar as seis semanas de paragem por causa do meu Tendão de Aquiles e espero conseguir uma medalha nos próximos Campeonatos do Mundo.”

“Uma grande experiência de Orientação”

Também Ona Rafols (GD4C) se mostrava muito satisfeita com o Portugal O’Meeting: “Gostei muito, muito, muito do mapa. Muito técnico, corri muito bem mas… perdi-me (risos). Num sítio com muita gente, muitas balizas, um caos. Apesar disso gostei mesmo muito. O Portugal O’Meeting foi uma excelente experiência, estiveram aqui imensos estrangeiros e isso deu-me a possibilidade de estabelecer algumas comparações com os outros e de aprender também. Gostaria muito de voltar a esta zona para treinar. Os mapas são fantásticos. E espero também regressar a Portugal para competir uma ou outra vez. Tentarei articular com o calendário de provas em Espanha e tudo farei para conseguir vir cá mais vezes.”

Finalmente, o mais sucinto possível, Neil Northrop (South Yorkshire Orienteers) descreveu tudo o que sentia numa frase sucinta: “Uma corrida muito boa, uma navegação muito intensa o tempo todo, uma grande experiência de Orientação.”

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: