terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

OS VERDES ANOS: INÊS ALVES


Olá!

Chamo-me Inês Gameiro Alves, vivo em Ourém, tenho 12 anos e frequento o 7º ano na Escola Básica e Secundária de Ourém.

Eu comecei a praticar Orientação há cerca de três anos no Desporto Escolar na minha antiga escola, a Escola Básica do 2º e 3º Ciclo D. Afonso, 4º Conde de Ourém, onde os meus pais dão aulas. Mas, como federada, apenas pratico a modalidade há dois anos e pertenço ao Grupo Desportivo 4 Caminhos.

Antes fazia com a minha mãe OPT1, mas comecei a crescer e a preferir fazer sozinha. Eu, sinceramente, apenas faço as provas, não tenho treinos, só por vezes no Desporto Escolar, mas isso não acontece regularmente. Mesmo assim, costumo ir aos estágios de orientação com a minha grande amiga Carolina.

É preciso saber gerir as minhas actividades: os estudos com a Orientação. Normalmente, quando tenho prova, costumo adiantar os trabalhos durante a semana, mas, quando tenho testes, por vezes, costumo levar algumas coisas para ir revendo, mas não são os estudos que me fazem parar de praticar Orientação.

Quero continuar a praticar esta modalidade, porque, como o meu pai diz, «já sinto o bichinho dentro de mim». Eu adoro fazer Orientação, porque além de ser uma forma de praticar desporto, também nos obriga a pensar e acho que isso é das coisas melhores que a Orientação tem. Para além de tudo isto, temos a oportunidade de conhecer e de conviver com muitas pessoas. Desde que entrei na Orientação, já tenho muitos - mas mesmo muitos! - amigos e acho que isso também é muito importante.

Em relação à profissão que quero seguir, sinceramente ainda não decidi, pois ainda gosto de tudo um pouco, mas queria algo que tivesse saída, pois sei a situação do país relativamente ao desemprego.

Os meus pais apoiam-me sempre e nesse aspecto tenho de agradecer ao meu pai, pois foi ele que me levou até à Orientação e que me fez ver o que de bom tem este desporto, e tanto quanto eu, querem ambos que eu continue a praticar a modalidade. Espero continuar a praticar este desporto durante muitos, muitos anos e chegar um dia ao escalão de elite, pois seria um sonho concretizado.

Na minha opinião, a modalidade não é muito divulgada, logo há muitas pessoas que não a conhecem. Acredito que se houvesse mais divulgação, haveria mais pessoas a praticá-la e, de certeza, que iriam adorar!

Inês Alves

.

Sem comentários: