segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

1º TROFÉU ORI-BTT DE VILA NOVA DE POIARES: BRILHANTE VITÓRIA DE DANIEL MARQUES


Encravada entre as serras do Carvalho e de Magarrufe e inserida na vasta região do Pinhal Interior Norte, Vila Nova de Poiares recebeu a quarta prova do ‘ranking’ da Taça de Portugal de Orientação em BTT.

“S. Pedro é orientista”, afirmava convicto Vítor Rodrigues, o Director da prova, no arranque do 1º Troféu Ori-BTT Vila Nova de Poiares, ao início da manhã de sábado. A invernia não dera tréguas à abnegada equipa da Secção de Orientação do Ginásio Clube Figueirense e obrigara a trabalhos redobrados para montar a complexa máquina logística nos dias que precederam o evento. Agora, porém, após tanto trabalho, o Sol beijava a terra, recompensando os méritos organizativos e brindando à modalidade.

Marcado pela lama que inundou os trilhos serranos, dificultando a progressão e aumentando o desafio, o 1º Troféu Ori-BTT de Vila Nova de Poiares contou com a excelente participação de 245 atletas de três países (Portugal, Espanha e Rússia), constituindo assinalável êxito desportivo e transformando-se numa jornada de excelente divulgação da modalidade.

Daniel Marques “fura” as previsões

Número 11 do Mundo, o russo Viktor Korchagin (ATV) viu o seu natural favoritismo contrariado logo na primeira etapa pela excelente prestação de Daniel Marques (COC). A prova de Distância Longa (28 km como melhor opção, para 15 pontos de controlo) viu o português adaptar-se melhor ao terreno, num mapa com boa rede de caminhos e onde o maior adversário foi mesmo a lama, consequência lógica de semanas de chuva praticamente ininterrupta. Com um tempo de 1.34.04, o português deixou Korchagin a 3.22 de distância e o seu colega de equipa, Joel Morgado, a mais de dez minutos.

Tudo em aberto para a derradeira etapa, uma prova de Distância Média com 22,2 km (melhor opção) e 17 pontos de controlo. O tempo alterou-se radicalmente e a chuva e o denso nevoeiro vieram baralhar ainda mais os dados. A verdade é que Daniel Marques voltou a ser o mais forte, batendo novamente o russo, desta feita pela escassa margem de 44 segundos (1.24.13 para 1,24.57). Joel Morgado voltou a ser o terceiro classificado, agora a 13.37 do vencedor. Daniel Marques alcançou assim uma vitória moralizadora ante um adversário de enorme valia, demonstrando o porquê de ser, também ele, um dos melhores atletas mundiais desta tão espectacular como exigente especialidade.



Ksenia Chernykh, imperial!

No sector feminino, Ksenia Chernykh (ATV) revelou enorme superioridade sobre as suas adversárias em ambas as etapas. Senhora duma condição física notável e com uma invulgar capacidade de memorização do mapa, a russa sentiu-se como peixe na água e esmagou a concorrência. Uns furos abaixo do que seria de esperar, sobretudo na primeira etapa onde duas más opções a fizeram perder preciosos minutos, Susana Pontes (CPOC / Loja das Bicicletas) foi uma esforçada segunda classificada. Chernykh venceu no sábado em 1.29.52, deixando Susana Pontes a 24.30 (!), enquanto no segundo dia venceu com o tempo de 1.19.09 contra 1.29.18 da portuguesa. Maria Amador (ATV) travou com Rita Guterres (CP Telecom) um intenso duelo pela terceira posição, cujo desfecho foi favorável à atleta das “telecomunicações”, mercê duma prova de Distância Longa mais bem conseguida.

Nos restantes escalões, João Mega Figueiredo (CN Alvito) e João Ferreira (DA Recardães) confirmaram o seu favoritismo, vencendo em H17 e H20, enquanto em D20, Margarida Colares (CAOS) e Ana Moreira (COA) travaram intenso despique, favorável à primeira por escassos 2,07 pontos. No competitivo escalão de H21A, Carlos Antunes (COC) foi um brilhante vencedor, depois de luta renhida com Davide Machado (.COM), o segundo classificado. Sandra Rodrigues (ADFA) e Artur Santos (GDU Azóia), venceram e convenceram em D21A e H21B, o mesmo acontecendo com Ana Gomes (COA) e Inácio Serralheiro (CN Alvito) em H/D 35. Samuel Oliveira deu nova vitória ao DA Recardães em H40, ao passo que José João Moura (Clube EDP) e Luísa Mateus (COC) triunfaram em H/D 45. Impróprio para cardíacos foi o duelo travado no escalão de H50 entre Luís Sousa (Clube TAP) e Albano João (COC). Luís Sousa foi o grande vencedor, apesar da prova perfeita de Albano João no segundo dia, mas que se revelou insuficiente para anular os mais de oito minutos de desvantagem trazidos da véspera. Na classificação colectiva, a vitória sorriu ao COC com 1323,7 pontos, tendo o ATV alcançado a segunda posição com 1142,6 e o COA sido terceiro com 1009,2 pontos.

Confira os resultados completos
AQUI.

Saudações orientistas.

JOQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: