quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

PELO BURACO DA FECHADURA...


Sete semanas após Idanha-a-Nova e o Campeonato Ibérico, assistimos ao regresso da Taça de Portugal de Orientação Pedestre. Ao longo do próximo fim-de-semana, Alter do Chão recebe a terceira edição do Norte Alentejano O’Meeting, a “jóia da coroa” da entidade organizadora, o Grupo Desportivo 4 Caminhos. Com Fernando Costa espreitamos pelo buraco da fechadura, ao encontro dum evento que promete.

Orientovar (O) - O GD4C parte para a terceira edição do NAOM com responsabilidades acrescidas. Como é que avalia todo o caminho percorrido e que nos leva até Alter do Chão, já no próximo fim-de-semana?

Fernando Costa (F.C.) - O Caminho percorrido é um caminho de conquista, prova a prova, num território que não é o nosso mas que defendemos como se fosse! É um grande esforço logístico que a associação é obrigada a realizar, mas que temos conseguido cumprir. O NAOM já começa a ser conhecido em termos internacionais como é demonstrado este ano com a vinda de quase 40 estrangeiros. O Caminho é também levar a conhecer outros caminhos, onde a natureza é a maior riqueza da região e com condições impares para praticar Orientação. Agarrando nas palavras da Presidente da Câmara Municipal de Nisa, a Orientação é partilha e nada melhor do que partilhar com todos vós estes espaços, onde a Pedra, a Terra, a Água e o Sol ditam a sua lei.
Também, temos consciência que não podemos defraudar a confiança depositada na Organização, pelo Município e pela FPO, e que todos estão à espera de novidades! Por isso tentamos sempre que os eventos não sejam só os percursos de Orientação. É com algum orgulho que realizamos uma das etapas na Coudelaria de Alter do Chão, que é a mais antiga do Mundo e onde se cria uma imagem de marca Nacional, o cavalo Lusitano. Deixamos ainda uma parte da Coutada do Arneiro para cartografar, para uma outra oportunidade em que o evento seja de maior envergadura e a Fundação Alter Real autorize a sua realização.


O. - Preparado à distância de um ano, quais as grandes dificuldades sentidas no capítulo organizativo? Como é que avalia os apoios, nomeadamente do município de Alter do Chão e dalgumas instituições do Concelho?

F.C. - O grande problema é sempre conseguir a cartografia com a antecedência necessária para poder preparar a prova sem sobressaltos. Apesar de ser a primeira vez que se vai realizar um evento desta natureza em Alter do Chão, com algumas dificuldades de coordenação acrescidas, os apoios da Câmara tem sido muito importantes, pois sem o apoio dos Municípios era impossível realizar este tipo de eventos. Grande parte do apoio logístico é da responsabilidade da Câmara Municipal de Alter do Chão, onde se destaca a possibilidade da Organização fazer do Pólo da Universidade de Évora, em Alter, o seu “Quartel-General”, para além do Jantar-Convívio na noite de sábado e as ofertas para prémios e presenças. De realçar também o apoio dos proprietários dos terrenos, porque sem eles o evento não seria possível. Em termos de patrocinadores, mantêm-se quase os mesmos das anteriores edições, com especial carinho para a Almojanda que é o único da região. Do ponto de vista competitivo, temos um número apreciável de inscritos e a presença confirmada de Michal Smola e Eva Jureniková, atletas da republica Checa e duas referências da modalidade a nível mundial.

O. - Que expectativas estão criadas para o conjunto das três provas que compõem o Programa?

F.C. - Penso que estão reunidas as condições necessárias para que exista um evento com excelente nível competitivo, atendendo à variedade de provas e terrenos. Os vencedores terão que ser muito completos, pois as provas serão distintas e com exigências físicas e técnicas apreciáveis. As figuras mais sonantes estão cá a começar a época e por isso sem grandes interesses competitivos, mas estou certo de que não irão deixar escapar o ensejo de subir ao lugar mais alto do Pódio.


O. - Nota-se uma grande preocupação em interagir com as forças vivas da terra, em deixar vincada a passagem do evento, quer pela presença de personalidades conceituadas, quer pelo lançamento de iniciativas paralelas de âmbito social e cultural. Quer revelar-nos o que está preparado para este ano?

F.C. - Esta situação não é fácil de conseguir, pois normalmente existe uma grande dificuldade em penetrar no circuito de Comunicação Social Local. Por outro lado, os eventos começam todos os anos do zero, o que obriga a repetir sempre as mesmas tarefas. A verdade em que conseguimos em Alter, com o apoio de uma Rádio Local de grande nível, melhorar neste aspecto. Já ontem teve lugar a Conferência de Imprensa [ver apontamento de reportagem aqui] e amanhã teremos Orientação para as Escolas. Grande expectativa está a ser criada com o lançamento das “Crónicas do Norte Alentejano O’ Meeting 2007-2008”, onde pela primeira vez se dá a conhecer em livro um evento de Orientação em Portugal. Para o efeito vai ser realizada uma sessão de autógrafos no Hotel Convento D’Alter no dia 24, pelas 16h30. Quero aqui expressar a minha homenagem ao Joaquim Margarido, que foi sem dúvida a maior descoberta do Norte Alentejano O´Meeting e que, com esta obra, simboliza a “Partilha” ao mais alto nível.

O. - Neste preciso momento, há algum aspecto que o deixe ainda preocupado ou em sobressalto?

F.C. - Há situações com os proprietários dos terrenos que nem sempre são fáceis de gerir. Por vezes só entendem o que se pediu no dia da prova. Vai haver algum gado em locais do evento que não é possível retirar, mas que não oferece perigo, embora saiba que alguns praticantes têm medo! Outro aspecto são as condições meteorológicas adversas, pois com apoio logístico reduzido é sempre complicado oferecer boas condições aos participantes.

O. - Pedia-lhe que deixasse uma mensagem a todos os participantes no NAOM 2009.

F.C. - O Concelho de Alter tem história e tradição, por isso devem aproveitar o ensejo para desfrutar o melhor possível a região. O Grupo Desportivo 4 Caminhos tudo fará para proporcionar um fim–de–semana agradável, com competição e lazer de mãos dadas, com bons locais e percursos desafiantes. Participem nas actividades paralelas, visitem a Coudelaria de Alter nos tempos livres, respeitem as instalações e locais postos à disposição do evento pelas entidades locais, de forma a poder repetir a Festa noutra ocasião.

[saiba tudo sobre o NAOM em
http://www.gd4caminhos.com/naom2009/]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: