terça-feira, 13 de janeiro de 2009

OS VERDES ANOS: ANA FILIPA SILVA


Olá!

O meu nome é Ana Filipa Silva, tenho 18 anos, vivo perto de Sintra e pratico Orientação pelo CPOC.

Desde os 7 anos que pratico desporto regularmente... Iniciei-me pela Natação, dois anos depois virei-me para o Triatlo e desde 2005 que faço o calendário nacional de provas de Orientação.

Digo o calendário nacional porque desde o 5º ano até ao 9º fui fazendo algumas, tanto de Desporto Escolar como no âmbito da Federação, pela Escola da Sarrazola. A primeira prova foi em plena Serra de Sintra. Lembro-me vagamente de saber a sinalética toda! O problema era não saber o que eram as "coisas" no terreno. O ponto 4 foi uma aventura! Nós bem sabíamos que o ponto estava num escarpado, mas saber o que era um escarpado...

Durante o 9º ano surgiu a ideia de ir fazer uma prova de Ori-Btt. O Gonçalo Cruz praticou também Orientação pela Sarrazola, estava já federado e também interessado em experimentar a Ori-BTT... Amigo puxa amigo e lá fomos. Grândola, Santa Margarida da Serra! Dos melhores mapas de Ori-BTT de Portugal. Como é óbvio, gostámos bastante e decidimos voltar. Agora foi em Óbidos, Campeonato Nacional e Ibérico, e desta vez fomos sozinhos no nosso escalão. Se já tinha gostado da outra, esta foi um desafio ainda maior que, sem dúvida, deixou o bichinho.

Na época seguinte, e já federada, não houve uma a que faltasse. Eu e os meus pais, claro! Que se não gostassem tanto disto como eu, não me perguntavam quando é a próxima tantas vezes! Não que eles pratiquem mas, tal como eu, gostam do ambiente que há nas provas. É que não se trata apenas do gosto pelo desporto, pela natureza, pelo desporto na natureza, pela competição e pelo desafio em si. Trata-se também das pessoas! Da animação que há em cada Arena, das histórias sobre aquele ponto para o qual se subia, subia, subia e que se tinha de ir o resto a pé porque já não dava mais, ou daquele caminho tão giro pelo qual se tinha passado. Trata-se da entreajuda entre todos os praticantes e da simpatia de cada um!

Mas que variante prefiro eu, a pedestre ou a BTT? Não sobrevivia sem as duas, diria. Mas a Ori-BTT... Sempre gostei imenso de andar de bicicleta e os mapas fascinam-me bastante; ora, a combinação das duas, já se está a ver o efeito!... E não me venham cá dizer que a Ori-BTT é só ver os caminhos e seguir! Não, não! É possível "sobreviver" assim, mas é mais difícil! É aqui que entra a Pedestre, a técnica que é necessária para interpretar todo o mapa e escolher o que interessa ou não.

Bom, também é normal uma pessoa gostar mais daquilo que lhe traz mais alegrias... Digamos que uma alegria na pedestre é conseguir fazer todo um percurso sem ter de correr ou andar mais do que devia... Já o Ori-BTT tem sido uma "fonte"! Lembro-me dos pulos que o meu coração deu com cada Campeonato ganho, com cada convocação para o Ibérico, Europeu ou mesmo para o Mundial. Mas lembro-me melhor do sorriso e da histeria que me invadiram quando o Jorge Simões me telefonou e perguntou: "Filipa, já ouviste falar do Campeonato Europeu na Polónia, em Setembro?" Foi aquela! A que me marcou mais, sem dúvida!

Também a iniciativa da Federação para preparar atletas para o Campeonato Mundial de 2010 me surpreendeu bastante! É, sobretudo, gratificante! Mas é também uma responsabilidade acrescida! E é aqui que entra o meu dilema actual... Até então tinha tempo para treinar e sempre consegui conciliar os estudos com o desporto. E tal como o Mega, acho mesmo que são complementos. Mas acabaram-se as facilidades... A faculdade não permite o que permitia o Básico ou o Secundário. Entrei este ano para Engenharia de Energia e Ambiente e todos os dias perco cerca de 2 ou 3 horas em deslocações, tempo que antes usava para treinar. Como é óbvio as aulas também são totalmente diferentes e exigem mais trabalho em casa. Portanto, tenho treinador, planos de treinos e vontade de fazer qualquer coisa... Mas o tempo escasseia!

Vamos ver como vão correr as coisas! Desistir não faz parte dos meus planos e, por isso, quer tenha ou não cartas para jogar, vemo-nos numa floresta! Melhor ou pior, mais ou menos preparados, há lá coisa que nos satisfaça mais do que fazer o que gostamos?!

Obrigada pelo "tempo de antena".

Cumprimentos,

Ana Filipa

.

Sem comentários: