domingo, 25 de janeiro de 2009

NORTE ALENTEJANO O'MEETING 2009: A LEI DO MAIS FORTE!


A Orientação regressou ao Norte Alentejano pelas mãos do Grupo Desportivo 4 Caminhos. Dois dias intensamente vividos, três provas de altíssimo nível e um punhado de iniciativas de grande valor social e cultural, proporcionaram gratos e inesquecíveis momentos a todos quantos tiveram o privilégio de marcar presença em Alter do Chão, na terceira edição do Norte Alentejano O’Meeting.

Quase sem darmos por isso, 2009 entrou de mansinho e o Janeiro caminha já para o seu final. Sete semanas após a jornada ibérica de Idanha-a-Nova, assistimos ao retomar das provas do “ranking” da Taça de Portugal de Orientação Pedestre com o Troféu Norte Alentejano O’Meeting (NAOM). Apesar da sua curta existência, o evento tem sabido conquistar um lugar destacado nas preferências dos amantes da modalidade, quer pela sua qualidade intrínseca no plano organizativo, quer pela forma como concorre para a promoção e valorização do enorme potencial humano, natural e paisagístico de toda uma região.

Contando com o forte empenho e apoio da Câmara Municipal de Alter do Chão, o Grupo Desportivo 4 Caminhos cerrou fileiras, soube tornear as dificuldades levantadas pela inclemência do tempo nos dias que antecederam a prova e reforçou a aura de qualidade e prestígio que surgem associados ao NAOM. A prova de coragem, humildade, brio e profissionalismo dessa extraordinária equipa liderada por Fernando Costa, viu o seu esforço recompensado graças ao sentimento generalizado de enorme satisfação e reconhecimento da parte de sete centenas de participantes, 40 dos quais estrangeiros.

Michal Smola e Eva Jureniková confirmam favoritismo

Ostentando o título de Vice-Campeão do Mundo de Distância Média, o checo Michal Smola (IFK Moras OK) foi o grande vencedor do Troféu, totalizando 2922.8 pontos, mercê das vitórias na prova de Distância Média e Distância Longa e dum 4º lugar na prova de Sprint. Muito motivado e a demonstrar um enorme espírito de sacrifício, Tiago Aires (GafanhOri) foi um brilhante segundo classificado com 2881.1 pontos, alcançando mesmo o impensável: Chegar ao segundo lugar na prova de Sprint, à frente de… Smola. Darius Sadeckas, companheiro de equipa de Smola e também ele um dos bons valores mundiais da actualidade, classificou-se em terceiro lugar com 2848.6 pontos. Saúdem-se igualmente as boas prestações de Tiago Romão (COC) e Miguel Silva (CPOC), quarto e quinto classificados, respectivamente.

Na elite feminina, a checa Eva Jureniková (Domnarvets GoIF) confirmou o seu total favoritismo e triunfou com um total de 3000 pontos, correspondentes às vitórias nas três provas que compunham o Troféu. A sueca Ingela Alvmyren (Halmstad OK) secundou a vencedora em todas as provas e foi, naturalmente, a segunda classificada com 2721.1 pontos enquanto Raquel Costa (GafanhOri) esteve muito regular e, também ela, foi terceira nas três provas e no Troféu com 2515.4 pontos. Apesar do desconsolador sétimo lugar na etapa inicial, Patrícia Casalinho (COC) soube dar à volta à situação e, mercê do quarto lugar no Sprint e na Longa, acabaria por ser a quarta classificada, enquanto a sua colega de equipa, Andreia Silva, se classificou no lugar imediato.

A “praga” do Gafanhoto

A presença constante dos jovens representantes do GafanhOri no lugar mais alto dos pódios começa a ser vista como a “praga” do Gafanhoto. Bendita praga, diga-se, tanto e tão profícuo trabalho se tem revelado aquele desenvolvido por Tiago Aires e Raquel Costa ali para as bandas de Arraiolos. O mapa de vencedores dos escalões de Formação apresentou uma vez mais o GafanhOri como denominador comum. Rute Coradinho (D13), João Cascalho (H15), Inês Catalão (D15), Paulo Falcão (H17) e Rita Rodrigues (D17) elevaram bem alto o nome da turma de S. Pedro da Gafanhoeira e só Vasco Duarte (ADFA), com o seu triunfo em H13, constituiu a excepção à regra.

O duelo mais emocionante de todos quantos foram travados neste NAOM’09 verificou-se em H20, com Manuel Horta (GafanhOri) e David Sayanda (Ori-Estarreja) a alternarem no comando da classificação. Horta começou melhor, vencendo a prova de Distância Média, mas Sayanda recuperou no Sprint e tomou a dianteira. Nova vitória de Horta na Longa, conferiu-lhe em definitivo a posse do troféu, mas escassa diferença de 2.2 pontos para o seu adversário deu bem uma ideia da intensa luta travada entre ambos. Ausentes por imperativos organizativos, as jovens atletas do Grupo Desportivo 4 caminhos, Joana Costa e Isabel Sá, deixaram o caminho aberto ao triunfo de Mariana Moreira (CPOC). Que não se fez rogada e, com um pleno de vitórias nas três provas do Troféu, subiu ao lugar mais alto do pódio, deixando Lena Coradinho e Inês Pinto, ambas do GafanhOri, a considerável distância.

Pódios repartidos entre portugueses e estrangeiros

Davide Machado (.COM) voltou às vitórias em H21A, enquanto Fátima Saraiva (DA Recardães), com uma prova de Distância Média perfeita, acabou por garantir o triunfo em D21A. António Amador (Ori-Estarreja) foi o mais regular em H35 e chegou à vitória no Troféu, a despeito de não ter vencido nenhuma das etapas. Em D35, Susana Pontes (CPOC) continua com a “pedalada” toda e levou de vencida as suas adversárias, com triunfos na Meia e na Longa e um terceiro lugar no Sprint. O CPOC voltou a colocar um atleta no lugar mais alto do pódio, Rui Botão de seu nome, no escalão de H40. Em D40, Alexandra Coelho “arrasou” a concorrência e fez igualmente o pleno de vitórias nas três provas.

Nos restantes escalões, vitórias esperadas de Santos Sousa (ADFA) em H45, Luísa Mateus (COC) em D45, Albano João (COC) em H50, Manuel Dias (Individual) em H55, Maria São João (CLAC) em D55 e Francisco Coelho (Clube TAP) em H60. Kane Andersson (IFK Moras OK) triunfou em D50, à frente de Fernanda Ferreira (DA Recardães). Em D60, a vitória sorriu a Jill Gorvett (SYO) enquanto o finlandês Pekka Syväterä (Individual) triunfou em H65. Finalmente, em H70, a vitória foi para o nosso bem conhecido Bo Hallberg, lídimo representante do CIMO. Colectivamente, o COC foi desta feita o mais forte, vencendo com um total de 5179.2 pontos. O CPOC vendeu cara a derrota e concluiu no segundo lugar a escassos 52.6 pontos. Ori-Estarreja (4766.9 pontos), ADFA (4412.6 pontos) e GafanhOri (3444.8 pontos) ocuparam os lugares imediatos.

[consulte os resultados completos
AQUI]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

1 comentário:

Isabel disse...

A "praga" de Gafanhotos ;-) é tão grande que já orientou o GafanhOri no sentido do 5º lugar, de clubes.