terça-feira, 9 de dezembro de 2008

16º CAMPEONATO IBÉRICO DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE (III)


SPRINT MOLHADO

A segunda etapa deste 16º Campeonato Ibérico de Orientação deu o exclusivo às Selecções. Disputada em torno da zona nobre da vila, a prova de Sprint realçou a mais valia dos nossos orientistas nesta especialidade e lançou Portugal para a frente da competição por confortável margem.

Era para ser uma grande jornada de promoção da modalidade. A vila engalanada para receber o embate ibérico. Já refeitos das emoções da manhã, o milhar de pessoas que se deslocaram a Idanha a vibrarem com o desempenho dos atletas. A população local, atraída pelo ambiente de festa, a juntar-se nos aplausos e incentivos. Os seleccionados de Portugal e Espanha a darem o tudo por tudo numa sempre espectacular prova de Sprint. Era para ser… mas não foi!

O tempo não fez jus ao ditado e, à “manhã de nevoeiro”, seguiu-se uma tarde de mais nevoeiro ainda, com uma chuva miudinha de permeio, que foi engrossando e descolorindo tudo, transformando precocemente a tarde em noite. A potencial assistência preferiu recolher-se ao conforto dos alojamentos e não mais de cem pessoas arriscaram desafiar a intempérie e vir para a rua. Alheios a tudo isto – ou talvez não! – os atletas puseram em prova todo o empenho e determinação, terminando este primeiro dia com um balanço muito favorável às cores portuguesas.


Portugal toma a dianteira

No sector feminino, Portugal e Espanha repartiram equitativamente os seis títulos em disputa, embora o saldo voltasse a ser favorável à Espanha, por 50 pontos contra os 49 das nossas cores. Isabel Sá repetiu a vitória em Juvenis, enquanto Joana Costa e Mariana Moreira inverteram os lugares alcançados na prova da manhã, com a atleta do GD4 Caminhos a impôr-se por um escasso segundo. O terceiro título foi conquistado com todo o mérito pela veterana Luísa Mateus. Na selecção espanhola, Ona Rafols e Mercedes Jiménez foram ausências notadas por motivo de lesão contraída na prova da manhã e que as impediu de alinhar à partida.

Quanto ao sector masculino, o domínio foi quase absoluto. Portugal só não fez o pleno de vitórias graças ao triunfo de Marc Serralonga em Cadetes, impondo-se a João Mega por escassos 3 segundos (um segundo perdido no penúltimo ponto e dois segundos no último foram fatais ao carismático atleta). David Sayanda (Juvenis) e Joaquim Sousa (Veteranos 1) imitaram Isabel Sá, repetindo as vitórias da etapa da manhã e os restantes triunfos couberam a Jorge Fortunato (com Tiago Romão apenas a 3 segundos), no escalão júnior, a Mário Duarte, em Veteranos 2 e a Diogo Miguel, no escalão sénior. Vale a pena salientar o título de Diogo Miguel, ausente da convocatória inicial (surge aqui em substituição de Joaquim Sousa, “promovido” a veterano para cobrir a ausência de Santos Sousa, lesionado), que soube aproveitar a oportunidade, provando a justeza da opção e demonstrando, se dúvidas restassem, o porquê de ser um dos mais promissores atletas portugueses. Contas feitas, Portugal alcançou 54 pontos, deixando a Espanha a 11 pontos de diferença.



Consulte os resultados completos em http://www.joaomota.com/class/Res_2008-2009/selSprint.html ou clicando na imagem acima.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: