terça-feira, 25 de novembro de 2008

OS VERDES ANOS: JOÃO MEGA FIGUEIREDO


Olá,

Eu sou o João Figueiredo, mais conhecido por “Mega”, federado com a licença nº 3299. Tenho 16 anos e vivo em Viana do Alentejo. Pratico desporto desde 1997 e iniciei-me com apenas 5 anos, sempre no mesmo clube, começando na Natação, passando depois para o Atletismo e que mais tarde se veio a juntar à Orientação.

Antes de mais gostaria de dizer que “Mega” trata-se apenas de uma alcunha, a qual já leva cerca de 8 anos de existência. E como surgiu? Foi precisamente num estágio que o Clube da Natureza de Alvito organizou na serra do Alvão. Como nessa altura tinha cerca de 1,20 metros de altura e era o mais novo da comitiva, todos se metiam comigo. Até que num dos treinos, o pequeno rapaz (eu!) começou a subir os últimos 3 quilómetros da famosa Senhora da Graça com a maior das pressas e total conforto, ficando toda a gente de boca aberta (inclusive um ciclista que por lá treinava e eu passei por ele a correr). Lá no alto, quando todos me felicitavam e me diziam que eu tinha um grande futuro como atleta, uma voz surgiu por entre os meus colegas a dizer que eu era um “Mega-atleta”. O Joaquim Patrício, meu treinador desde então, ouviu e afirmou que era mesmo “Mega”. E foi assim que surgiu a famosa alcunha que todos pensam - ou pensavam! - que fazia parte do meu nome.

Desfeita a curiosidade, vou agora falar de mim. Nasci em Leiria e fui registado em Alcobaça. Já vivi em Albergaria dos Doze, concelho de Pombal, e em Alvito. Pode dizer-se que não gosto de viver muito tempo no mesmo sítio…

Neste momento habito em Viana do Alentejo, terra que aprecio por ser calma e relativamente pequena, já para não falar que tenho todas as condições de treino que necessito. Tem S. Bartolomeu do Outeiro a apenas 9 km e estradas municipais iluminadas, o que me permite treinar à noite sem ter que levar frontal, apenas tenho que levar o colete reflector. Ainda tem uma pequena serra e uma grande área de campo onde se pode correr ou andar de bicicleta. A minha escola situa-se exactamente no extremo oposto da vila em relação à minha casa, o que quer dizer que atravesso a vila 4 vezes por dia, 2 a pé e outras 2 de bicicleta (distância de 1,65 km, o que dá no final do dia um total de 6,6 km). A minha escola tem apenas 300 alunos mas quase todas as condições de trabalho, onde a aprendizagem, no meu ponto de vista, é muito boa, pois a relação aluno/professor é muito mais próxima. Só lamento que os alunos não saibam aproveitar o que lhes oferecem, visto que esta escola é uma das piores 10 do país em termos de exames nacionais no secundário em 2008.

Mas falemos agora daquilo que realmente é a minha paixão - paixão essa que a sinto todos os dias como nunca mais a pudesse sentir! -, paixão essa que é, nem mais nem menos, que a Orientação. Pratico-a desde 2004 (a minha estreia foi no campeonato nacional de Sprint realizado em Amieira do Tejo pelo GD4C), mas posso confessar que até essa prova não sabia o que era. Ouvia os meus colegas de Atletismo que praticavam Orientação a falarem em provas que duravam todo o fim-de-semana e faziam não sei bem o quê. Ora toda estas conversas despertaram a minha curiosidade e o meu treinador, Joaquim Patrício, terá visto que eu poderia ser bom atleta na Orientação, pois tinha “pernas” e “cabeça” (instrumentos fundamentais para a prática da modalidade). Tudo se conjugava para a minha grande estreia, que viria a acontecer. Desde então pratico a modalidade com o máximo de entrega e dedicação possível e ainda por cima adoro mapas e bússolas. Gosto de saber por onde ando.

Eu acho que a Orientação é uma excelente actividade de complemento aos estudos visto que exige tanto de nós física e psicologicamente (é pena que nem todas as pessoas vejam isto assim, nomeadamente muitos dos professores de Educação Física). E para aquelas pessoas que pensam que actividades fora da escola não são benéficas, desenganem-se pois eu sempre tive bons resultados, quer a nível escolar quer desportivo e treino todos os dias assim como estudo.

A minha mãe costuma dizer que, se algum dia, eu obtiver algum resultado menos positivo na escola, me proíbe de praticar Orientação ou outro desporto enquanto não obtiver um melhor resultado. Mas por enquanto vai-me apoiando, pois isso nunca aconteceu e espero que nunca aconteça, estou cá para impedir isso. Já os meus amigos são simplesmente espectaculares, apoiam-me e adoram os meus sucessos na Orientação, para não falar que muitos deles são atletas e companheiros da modalidade. Aqueles que não conhecem muito bem a modalidade estão sempre a dizer que quando eu for famoso não os posso esquecer. E depois ainda existem aqueles que dizem que quando eu for a uns Jogos Olímpicos tenho de enumerar quem eles são. O único problema que eles ainda não se aperceberam, é que a Orientação não é (mas espero que venha a ser) modalidade olímpica.

Mas antes que tudo isso aconteça já tive os meus êxitos e desventuras, como todos os atletas. Começando pelo pior, as desventuras, ainda não experimentei algo de muito grave e talvez a pior tenha sido mesmo a oportunidade que desperdicei de ir ao EYOC´07, por não ter feito as provas de apuramento suficientes (e aquelas que fiz não terem sido as melhores). Por outro lado uns dos maiores êxitos até ao momento foi o apuramento para o EYOC´08 e toda a época que passou, visto que obtive o título nacional de Sprint e um vice-título de Distância Média, no que diz respeito à Orientação Pedestre, e ainda os títulos de campeão nacional de Distância Longa e de campeão nacional de Distância Média, na disciplina de Ori–BTT. Estes últimos totalmente inesperados, pois pratico Ori–BTT na “desportiva”, aproveitando apenas para completar o treino para a Orientação Pedestre.

Agora que estou a chegar ao fim, basta referir uma ou duas coisinhas sobre o meu futuro (tempo que não gosto muito de falar, mas como qualquer pessoa tenho os meus objectivos). Em termos de Orientação, o meu futuro ainda é totalmente imprevisível, contudo sonho um dia subir a um pódio, quem sabe mesmo em 1º lugar, duma prova internacional. Já a nível profissional não sei o que realmente um dia serei, mas gostava de ser cardiologista. E cardiologista, porquê? Porque é um sonho que tenho desde que comecei a sonhar, pois nasci com um problema na artéria aorta (a artéria não deixava passar todo o sangue que o coração bombeava) e depois de os médicos intervirem para resolver o problema tive que ser vigiado durante cerca de 4 anos. Ora com 4 anos começam as primeiras ideias do que um dia queremos ser, a minha foi esta e mais nenhuma até os dias que decorrem.

Termino assim agradecendo ao Joaquim Margarido por me proporcionar um “cantinho” no seu blogue para eu poder falar um pouco de mim como atleta e pessoa que sou. Obrigado também a todas aquelas pessoas que me deram a conhecer a modalidade e me motivaram para a continuar a praticar, nomeadamente ao meu treinador Joaquim Patrício e também ao Tiago Aires e Raquel Costa por me “aturarem” em algumas provas que gentilmente me oferecem “boleia”.

João Mega

.

7 comentários:

Ana disse...

Não tenho palavras para descrever o que senti ao ler esta "história".
Parabéns ao "Mega" por tudo o que já é, e desejos para que todos os seus sonhos se venham a concretizar!
Parabéns ao Joaquim Margarido por tudo o que tem aqui publicado!

marco/andre disse...

Um pequeno grande MEGA
Este texto devia constar dos manuais escolares.

Graca disse...

Mega-parabéns!!!
As tuas palavras revelam uma maturidade que não se encontra nos jovens... Consegues transmitir os teus sonhos com uma força incrível e espero sinceramente que os possas concretizar. Aliás, é esse o meu desejo para todos os jovens deste País, saibam eles aproveitar as oportunidades da Escola e as experiências que lhes tentamos transmitir. Sobretudo que consigam alcançar a verdadeira ALEGRIA DE VIVER.

Graça Carrapatoso

David Sayanda disse...

ganda MEGA
és o meu orgulho...
amo-te pequenito ;P

Rafael da Silva Miguel disse...

Parabéns "Mega"! Grande texto!!!

Boa sorte no treinos, nos estudos e nas provas...:D

Abraço

Rafael Miguel

David Sayanda disse...

Parabens Margarido por tudo o que nos proporcionou neste ano de aventuras!
Espero para o ano estar aqui de volta para dar os parabens de novo...

Um grande Abraço

Rafael da Silva Miguel disse...

Faço das palavras do David as minhas!

Abraço de um fã do seu BLOG :D

Rafael Miguel