segunda-feira, 17 de novembro de 2008

ORIENTAÇÃO NA JÚLIO DINIS: OS PRIMEIROS PASSOS


Define-se a si mesma como “uma Escola de qualidade, aberta à reflexão, à sociedade e à mudança”. Falamos da Escola Secundária c/ 3º Ciclo do Ensino Básico Júlio Dinis (ESJD), de Ovar, este ano com uma novidade no seu Plano Anual de Actividades. Trata-se do Clube Desporto Escolar de Orientação, integrado no Departamento Curricular de Expressões, Grupo Educação Física.

A Escola Secundária Júlio Dinis constitui uma forte referência no âmbito do Desporto Escolar a nível nacional. Em modalidades como o Atletismo tem sido presença constante nos Campeonatos Nacionais, acumulando títulos individuais e colectivos no seu vastíssimo currículo. São incontornáveis os nomes de alguns atletas que aqui se formaram, casos de Rafael Gonçalves, já afastado das lides competitivas mas ainda recordista nacional do Salto em Altura, ou de Clarisse Cruz, atleta do Sporting CP que marcou presença em Pequim em Agosto passado, na exigente disciplina de 3.000 metros obstáculos. O Futsal foi igualmente figura de proa na época finda, com a equipa da “Júlio” a sagrar-se Campeã Nacional e a ter um comportamento meritório em Malta, nos Jogos da FISEC.

Mas nem só de Atletismo e Futsal vive a ESJD. A estas modalidades juntam-se o Voleibol, as Actividades Rítmicas Expressivas, a Ginástica Artística e, este ano lectivo, também o Xadrez e a Orientação. Lançada pelas mãos dos Professores António Beça e Eduardo Ferreira, a Orientação está ainda a dar os primeiros passos. No sábado passado, aproveitámos uma breve pausa antes do início de mais um treino na orla da floresta do Furadouro e procurámos fazer o ponto da situação. Recebeu-nos o Professor Eduardo Ferreira, que disse de sua justiça.

“Foi um desafio que decidi aceitar”

Como é que surge a Orientação na ESJD?


A necessidade de promover uma actividade de exploração da natureza com uma das turmas de Educação Física levou-me a pensar na Orientação. Isto foi há dois anos e desenvolvemos actividades dentro e fora da escola, aproveitando as excelentes condições naturais junto ao Parque de Campismo do Furadouro. Para além duma prova que os alunos tiveram que fazer e que serviu para avaliação, também tiveram a possibilidade de se dividirem em grupos e de organizarem percursos para os restantes grupos. Entretanto surgiu o convite para reimplementar a Secção de Orientação do Clube AFIS / Ovar e isso colocou-me em contacto com o Clube Ori-Estarreja. Com a sua ajuda organizámos algumas provas, abertas não apenas aos alunos mas a toda a comunidade, e esta dinâmica tem vindo a crescer e a desenvolver-se.

Hoje o projecto tem outra abrangência e outra ambição. Houve aqui um passo muito importante com o lançamento do Clube Desporto Escolar de Orientação ligado ao Desporto Escolar na ESJD. Quer explicar?

Teve a ver fundamentalmente com um convite do António Amador para a implementação da Orientação no Desporto Escolar. Foi um desafio que decidi aceitar, em conjunto com o meu colega Prof. António Beça. Contamos, actualmente, com 18 alunos, cuja faixa etária vai dos 13 aos 16 anos.

“Actualização do mapa do Furadouro”

Como é que são desenvolvidas as actividades de Orientação no seio do grupo?


Periodicamente organizamos treinos na floresta para os alunos. Fizemos um levantamento dos mapas fornecidos pela Federação Portuguesa de Orientação, procedemos à implementação de percursos próprios e distintos daqueles que o Clube Ori-Estarreja tem naquele mapa, e é aí que treinamos. Nos intervalos, fazemos as aulas de Educação Física normais na própria Escola, com a componente da corrida associada, embora isso não cative particularmente os miúdos. Apesar da Escola estar cartografada, não treinamos lá. Pensamos, no âmbito da disciplina de Práticas Desportivas e Recreativas, do Curso Tecnológico-Desporto, organizar uma actividade nesse mapa, dando a conhecer a Orientação dentro da própria Escola, indo ao encontro de professores mas, fundamentalmente, de outros alunos.

O apoio dos clubes passa por ser essencial na consolidação de projectos desta natureza e neste âmbito. Qual a ligação existente entre a ESJD e os clubes da região?

Está em vista a assinatura dum protocolo entre a Escola e o Clube AFIS no sentido de nos ser proporcionado apoio na área organizacional, sobretudo ao nível das facilidades de transporte e da cedência de materiais. O Ori-Estarreja tem-se mostrado disponível para desenvolver connosco acções de formação e esperamos que se possa concretizar aquele que é o nosso grande projecto, a actualização do mapa do Furadouro, uma ideia conjunta da ESJD, do Clube AFIS e do Clube Ori-Estarreja, cujo sucesso dependerá fundamentalmente do apoio da Câmara Municipal de Ovar.

“Ainda não sentimos os alunos agarrados àmodalidade”

Federar os alunos através do Clube AFIS não está nos vossos planos?


É uma hipótese. De momento seria prematuro fazê-lo, uma vez que ainda não sentimos os alunos agarrados à modalidade. Queremos ver um grupo minimamente fidelizado para, então, dar o salto. A grande aposta passa pelos alunos mais novos, a frequentar o 8º Ano de Escolaridade, com quem poderemos manter um trabalho sustentado por mais alguns anos. Vamos ver.

Percebe-se que, nesta fase, as ambições são contidas. De que forma está estruturado o “projecto-Orientação” na ESJD?

Enquanto os alunos não se mostrarem minimamente experientes, a sua participação passa exclusivamente pelo Desporto Escolar. Teremos brevemente duas provas de apuramento para o Regional onde nos iremos confrontar com a Escola Secundária de Estarreja. Estamos conscientes que as hipóteses são muito reduzidas, já que os nossos alunos irão competir com atletas de outro nível, alguns deles federados. Vai ser muito difícil, não tenho a menor dúvida.

No médio e longo prazo, quais as suas ambições?


Não tenho ambições. Um passo de cada vez. Estou nisto porque gosto, para já. Seria óptimo que pudessem aparecer pessoas muito mais dinâmicas do que eu, que não tivessem as minhas limitações. Face às potencialidades da nossa região para a prática da Orientação seria realmente necessário alguém com outra dinâmica. E eu poderia deixar de ser organizador e passar a ser praticante.


[visite a página oficial da ESJD clicando no banner acima]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: