sexta-feira, 14 de novembro de 2008

2009 ISF WORLS SCHOOLS ORIENTEERING MADRID


Estão já disponíveis os resultados referentes à 1ª prova de Apuramento de Equipas de Escola para os Mundiais de Orientação ISF 2009, em Madrid. Coruche e o Troféu COA foram palcos da prova e, da análise de resultados, há um nome que se destaca de todos os outros: EB 2,3/S Cunha Rivara, de Arraiolos.

Arraiolos, Igrejinha, Ilhas, S. Pedro da Gafanhoeira, Sabugueiro, Santana do Campo e Vimieiro. Vale a pena fixar estes nomes. Mais do que as localidades que compõem o Agrupamento de Escolas de Arraiolos, elas constituem autênticos viveiros onde o Gafanhori – Clube de Orientação da Gafanhoeira “recruta” os seus elementos, formando-os e transformando-os em verdadeiros campeões.

Os resultados têm vindo a ser patenteados ao longo das provas que compõem o Calendário da Federação Portuguesa de Orientação e ficou agora soberanamente vincado em Coruche, onde as três equipas da EB 2,3/S Cunha Rivara tomaram a dianteira e se prefiguram como as grandes favoritas a marcar presença em Madrid, em Abril do próximo ano.

Contas nada fáceis de fazer

A mecânica de selecção é, no mínimo, complexa. Para o apuramento contam quatro percursos - dois deles realizados precisamente em Coruche e os restantes dois, nos dias 6 e 7 de Dezembro próximos, em Idanha-a-Nova – e desses quatro percursos são validadas as três melhores prestações, pontuando os melhores três atletas em cada etapa. Se a isto acrescentarmos o facto de haver atletas que competem em escalões diferentes para o “ranking” nacional e, face às idades, estão no mesmo escalão para o apuramento do Desporto Escolar, dá para perceber que as contas não são nada fáceis de fazer, nem tão pouco os critérios de selecção são pacíficos.

Alheios a isto, os mais novos desfrutaram de dois excelentes dias de Orientação, fazendo vincar as suas qualidades e capacidades. Apesar da desadequação de certas distâncias aos escalões respectivos, os percursos mostraram-se acessíveis e encerraram enormes desafios, sobretudo para aqueles que aqui experimentaram pela primeira vez a competição “a sério”. No total foram doze as Escolas que competiram com equipas completas (cinco elementos) em pelo menos um dos quatro escalões, embora nenhuma delas fizesse o pleno.

Iniciados da EB 2,3/S Cunha Rivara não dão hipóteses

Começando esta apreciação pelo escalão de Iniciados Femininos, a EB 2,3/S Cunha Rivara foi a grande triunfadora, com um total de 513,7 pontos. Para isso muito contribuiram Inês Catalão, vencedora da etapa de sábado, e Teresa Maneta, que triunfou no domingo. Quem mais se aproximou das arraiolenses foi a EB 2,3 Guilherme Stephens. Fazendo do COC a base da equipa, a escola da Marinha Grande ficou na 2ª posição com 393,3 pontos, beneficiando sobretudo do 3º lugar de Ana Tereso no domingo e do 4º lugar de Inês Domingues em ambas as etapas. Saúde-se o 3º lugar da ERD A Ribeirinha (Vila do Conde) com 372,1 pontos, onde apenas Catarina Dias (GD4C) tem alguma prática nestas andanças – o seu 2º lugar na etapa de sábado foi precioso -, mas cujo grupo, no seu conjunto, revela inegáveis potencialidades.

Os Iniciados Masculinos da EB 2,3/S Cunha Rivara imitaram as suas colegas, garantindo a vitória no conjunto dos dois dias de provas com um total de 486,7 pontos. A base é, ainda e sempre, o Gafanhori e João Salgado “arrasou”, levando de vencida ambas as etapas. Apesar de menos bem na etapa de domingo, João Cascalho secundou muito bem o seu colega de equipa e João Pedro, muito regular, fechou o grupo. O segundo lugar, com 411,1 pontos, coube à ES Palmela, uma “histórica” destas andanças. Competindo num escalão diferente (H17), Miguel Ferreira foi o principal impulsionador da equipa, logo seguido de Oleksandr Zaikin, um nome que certamente virá a dar muito que falar. Vencedora no ano passado e nossa representante em Edimburgo, a ES Pinhal Novo quedou-se na terceira posição com 387,1 pontos, apesar das excelentes prestações de Luís Silva, o atleta que representa a ADFA e que, também ele, competiu no escalão acima.

Luta acesa nos Juvenis Masculinos


Passamos para os Juvenis Femininos mas o denominador mantém-se. A EB 2,3/S Cunha Rivara voltou a dar cartas e impôs-se às demais adversárias com 591,9 pontos. Ana Coradinho, Ana Salgado, Rita Rodrigues e Inês Pinto são nomes com provas dadas, aos quais se junta Ana Tomás, ainda a dar os primeiros passos na modalidade. Mas não se julgue que foi fácil. Vencedora em 2008, a ERD A Ribeirinha vendeu cara a derrota, quedando-se a escassos 37,6 pontos da turma de Arraiolos e prometendo luta acesa dentro de três semanas em Idanha-a-Nova. Competindo em D20, Joana Costa e Isabel Sá foram mesmo as duas atletas com maior pontuação, no conjunto das duas etapas, entre todos os participantes. Mas notou-se a falta de Maria Oliveira que este ano, pelo menos em Coruche, não teve substituta à altura. Também uma saudação especial para a ES Estarreja, terceira classificada com 305,2 pontos, regressada a estas andanças após uma década de ausência.

Finalmente os Juvenis Masculinos, onde se assistiu a acesa luta, a qual promete arrastar-se até ao último segundo e com o vencedor final a contituir uma verdadeira incógnita. Para já, a ES Pinhal Novo vai fazendo jus à sua condição de favorita e sai na frente com 516,9 pontos. Fazendo das Lebres do Sado a sua base, reforçada com o “ori-estarrejense” Miguel Mouco, a turma do Professor Daniel Pó parece querer reincidir na deslocação “lá fora”. Tentando contrariar a tendência, ES Estarreja e ERD A Ribeirinha estão à espreita do menor deslize. Alicerçada nalgumas das melhores peças do Ori-Estarreja – casos de Rafael Miguel e João Costeira - a turma do Centro foi segunda com 482,1 pontos. Quanto à ERD A Ribeirinha tem em Hélder Marcolino e João Delgado os seus pilares e segue para já na terceira posição com 453,2 pontos.

“Nada está garantido”

A propósito destes resultados, ouvimos Tiago Aires, grande responsável pelo excelente trabalho que se vem desenvolvendo lá para as bandas de Arraiolos: “Ainda só estamos a meio do processo de apuramento mas, para já, estamos com 6 vitórias nos 3 escalões onde tínhamos alguma expectativa e onde temos trabalhado mais. Mas para já é necessário ter calma pois nada está garantido. Em Idanha-a-Nova será outro evento e tudo pode acontecer.” E, a terminar, uma nota que se regista com apreço: “Gostaria de agradecer publicamente ao Professor José Mateus, que soube aproveitar o trabalho efectuado pelo clube e ainda juntar novos atletas da escola, que estão agora a iniciar-se na modalidade. A Orientação no concelho de Arraiolos está novamente a crescer.”

[pode consultar os resultados completos aqui]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

3 comentários:

Mário Santos disse...

Boa noite,
O Projecto Gafanhori (Gafanhoeira/Arraiolos) é um excelente exemplo da aposta no "recrutamento" nas escolas... já começou a dar resultados, mas se continuar com a dinâmica que está, os verdadeiros resultados vão começar a ser bem visíveis daqui a 4 ou 5 anos... eles estão a arrancar impecavelmente bem... e é importante que depois tenham a mestria para conseguir a retenção dos potenciais talentos, aqueles que poderão ser os futuros campeões, desde que estejam dispostos a trabalhar muito (mas passando pelas fases todas da sua juventude, de modo a não "queimarem" antes do tempo.
Saudações,
Mário

Almeida disse...

Joaquim

corrigi lá esta frase no fim

"pode resultar os resultados" :D

Joaquim Margarido disse...

O que me vai valendo são os revisores oficiais (e oficiosos) dos meus textos. Muito obrigado pela vossa atenção, dedicação e preciosa ajuda.

JM