segunda-feira, 6 de outubro de 2008

XVII TROFÉU ORI-ESTARREJA: VITÓRIAS DE CELSO MOITEIRO E PATRÍCIA CASALINHO EM S. PEDRO DO SUL


Celso Moiteiro e Patrícia Casalinho foram os vencedores do XVII Troféu Ori-Estarreja, evento a contar para a Taça FPO Pedestre Norte, que teve lugar este fim-de-semana no Concelho de S. Pedro do Sul. Dois dias esplendorosos, em mapas do melhor que há em Portugal, o único senão foi mesmo o escasso índice de participações. Desfrutou quem pôde! E quem soube…

Duas etapas de Distância Média distribuídas por outros tantos dias, levaram os participantes ao encontro dos mapas de Gestoso e Campo de Anta, ao encontro da Orientação ao mais alto nível. O elevado índice de dificuldade técnica dos percursos propostos constituiu um desafio às nove dezenas de atletas dos escalões de competição e aos 23 participantes nas provas abertas (OPT’s), permitindo aferir com exactidão as suas qualidades e capacidades.

Face aos valores em presença, a luta pela vitória no escalão sénior travou-se, em ambos os sectores, entre atletas do COC. Gildo Silva e Paulo Franco souberam contrariar o favoritismo atribuído à partida a Celso Moiteiro, alcançando os dois primeiros lugares na etapa de sábado, em Gestoso. Com a vitória no Troféu a ser ditada pelo somatório dos tempos nas duas etapas, Celso Moiteiro teve de fazer pela vida em Campo de Anta, recuperando os cerca de três minutos de desvantagem e alcançando uma merecida vitória. No sector feminino, a excelente qualidade técnica de Patrícia Casalinho permitiu-lhe alcançar vitórias confortáveis nas duas etapas do Troféu e o grande despique foi travado entre Andreia Silva (COC) e Ana Oliveira (Ori-Estarreja) na luta pelos lugares imediatos. No final, a vantagem de 6:40 trazida de Gestoso, revelou-se suficiente para que Andreia Silva garantisse a segunda posição.

Nos restantes escalões, Joaquim Sousa (COC) competiu no seu escalão natural e triunfou com facilidade em Veteranos I. Neste mesmo escalão, Erminia Farenfield (Individual) foi a vencedora feminina. Albano João (COC) e Guida Santos (Clube EDP) venceram nos respectivos sectores em Veteranos II, o mesmo acontecendo com Manuel Dias (Individual) em Veteranos III. Quanto à formação, apenas 22 jovens atletas para seis escalões e vitórias de Samuel Nogueira (AD Cabroelo) em Iniciados, Nuno Barbosa (AD Cabroelo) e Ana Ribeiro (GD Luz Verde) em Juvenis, Ricardo Nunes (Ginásio Figueirense) em Infantis e André Cardeira (COC) e Bruna Ferreira (AD Cabroelo), em Juniores. Colectivamente, o COC foi o vencedor com 1699,7 pontos, seguido da AD Cabroelo com 1400,6 e da “equipa da casa”, o Ori-Estarreja, com 913,5 pontos.


No final Nuno Leite traçava um balanço daquilo que foram estes dois excelentes dias de Orientação, começando por parafrasear um dos participantes: "Como é possivel que venha tão pouca gente?". Valeram as experiências para aqueles que, na verdade, delas desfrutaram, as quais se revelaram particularmente enriquecedoras do ponto de vista da Orientação : “Áreas abertas, bastante técnicas e com pequenas áreas de floresta. Foi fundamental escolher bem os pontos de referência e saber identificar as pedras, falésias que estão cartografadas”, esclareceu.

Quanto aos aspectos organizativos, Nuno Leite faz questão de mencionar que a laboriosa equipa do Ori-Estarreja também teve de fazer as suas opções e… optou bem: “A tarde de sábado acabou bem, por volta das 16h00. Vê-se já que estamos no Outono e o Sol de fim de tarde é quentinho mas depressa o frio se sente. O pessoal dos percursos optou por ir ainda até Campo de Anta montar todo o percurso de domingo, o que se revelou uma decisão sensata. Colocar os pontos ao fim da tarde foi bem mais agradável do que ter de levantar mais cedo no domingo, com os 3º C que se faziam sentir em S. Pedro do Sul. Assim, no domingo, foi apenas necessário fazer um pequeno ‘jogging’ de SI na mão para confirmar que estava tudo operacional.”

O mapa de Campo de Anta merece de Nuno Leite uma referência muito especial: “É apenas um quilómetro quadrado de mapa que faz as delicias de muita gente. Um achado! Modéstia à parte, o facto de ter sido cartografado e utilizado no POM em 2007 nasceu de uma forte persistência minha de que aquela área era boa e merecia uma espreitadela de olhos. Nem sempre ser teimoso e lutar fortemente por algo que acreditamos é negativo. Fico contente que hoje seja visto por alguns como um dos melhores mapas em Portugal! E pensar que estas áreas do POM chegaram a ser classificadas por alguns entendidos como 'impraticáveis' quando as andávamos a estudar para utilização na referida competição…”

Uma última nota para a surpresa bem guardada no final: “Na entrega de prémios houve ainda tempo para festejarmos com Isilda Santos, antiga dirigente da FPO, o seu 63º Aniversário.”

Consulte os Resultados Completos em
http://www.ori-estarreja.com/.

[Slideshow construído a partir das fotos de Nuno Leite. Veja os álbuns completos dos dois dias em http://picasaweb.google.com/ori.estarreja]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: