sexta-feira, 3 de outubro de 2008

PELO BURACO DA FECHADURA...


A Orientação regressa este fim-de-semana ao concelho de S. Pedro do Sul, revisitando alguns dos mais belos recantos da vertente sul da Serra da Freita. O Ori-Estarreja, um dos mais prestigiados clubes do nosso país, aí fará disputar o seu XVII Troféu. Pretexto para, uma vez mais, espreitarmos pelo buraco da fechadura…

Criado em Março de 1992, o Ori-Estarreja - Clube de Orientação de Estarreja iniciou a sua actividade como secção do Clube Desportivo de Estarreja. “Desbravar caminho para a implantação da modalidade na região”, tal era o ideal do então Capitão Augusto Almeida, em torno do qual se congregaram esforços e vontades, permitindo levar por diante um projecto ambicioso e com uma vocação eminentemente social.

A enorme aceitação e o extraordinário desenvolvimento da modalidade em Estarreja levou a que os responsáveis pela Secção partissem determinadamente para a tão desejada autonomia. Assim, em 19 de Fevereiro de 1996, é formalmente criado o Ori-Estrreja, um clube que tem sabido, ao longo dos anos, traçar objectivos estruturantes, saber alcançá-los e partir para novos e cada vez mais aliciantes desafios. É precisamente nesta linha de conduta que se insere o Troféu Ori-Estarreja, do qual falamos hoje.

“Os mapas do POM merecem ser revisitados”

À partida para a 17ª edição, as origens do Troféu Ori-Estarreja perdem-se na bruma dos tempos. Necessário seria fazer alguma investigação para apurar a sua origem, bem como a data da primeira edição do Troféu a qual, de acordo com Augusto Almeida, se situará algures pelos idos de 94. Certo é que o Troféu Ori-Estarreja vai sendo levado a cabo numa base anual, acompanhando de perto a idade do próprio clube. Repartindo o seu âmbito por provas regionais e nacionais, o Troféu Ori-Estarreja tem marcado presença, sobretudo, no distrito de Aveiro, apostando na promoção e dinamização da modalidade na região da qual é originário o clube organizador. As excepções são duas provas nacionais, uma disputada em Figueira de Castelo Rodrigo, a encerrar a época de 2000 / 2001, e outra tendo por palco a bela região de Montalegre, precisamente na abertura da época seguinte.

Cumprindo a sua 17ª edição, o Troféu Ori-Estarreja ruma de novo a S. Pedro do Sul. Os motivos desta escolha são assim referidos por uma das figuras de proa da Organização do Troféu, Nuno Leite: “Tivemos duas provas seguidas na zona da Tocha e, no próximo ano, teremos ainda o Portugal ‘O’ Summer naquela zona, durante uma semana. Os terrenos precisam ‘descansar’, cair um pouco no ‘esquecimento’!” E a opção por S. Pedro do Sul até nem foi complicada visto que “obviamente os mapas do POM merecem ser revisitados, mesmo que pela segunda vez. E esperamos que à terceira seja sem chuva”, adianta Nuno Leite.



Nos mapas de Gestoso e Campo de Anta

Navegamos pelo “site” do Clube ao encontro das novidades previstas para esta edição. Num registo absolutamente minimalista, é possível perceber que Jorge Saraiva e Bruno Nazário são, respectivamente, Director da prova e Traçador de Percursos. Jorge Simões é o Supervisor dum troféu distribuído por duas etapas, ambas a contar para a Taça FPO Pedestre Norte. O mapa de sábado (Gestoso), à escala de 1:10 000 com equidistância de 5 metros, data de Janeiro de 2007 e assenta sobre “terreno aberto, áreas com bastantes detalhes técnicos e a uma altitude acima dos 950 metros”. Já no domingo (Campo de Anta), num mapa produzido na mesma altura e à escala de 1: 7 500 com equidistância de 5 metros, para além dos detalhes referidos anteriormente é possível encontrar “pinhal, terreno arborizado com as mais diversas espécies de árvores, ribeiras e áreas com alguma vegetação”. Merece a pena recordar que este terreno foi classificado por Thierry Gueorgiou como “um dos melhores onde já estive”.

Questionado sobre as dificuldades sentidas para levar por diante esta organização, Nuno Leite esclarece: “Não temos qualquer dificuldade de relevo. A autarquia de S. Pedro do Sul está novamente aberta a colaborar connosco em tudo o que for possível. Temos também uma equipa com bastante experiência nisto, o que facilita muito as coisas e as pequenas dificuldades rapidamente se resolvem. Normalmente, o ponto que oferece mais resistência à sua resolução é a coordenação do transporte de meios humanos e materiais para o local da prova.”

“Infelizmente não podemos prometer Sol”

Com a lista de partidas já estabelecida, é possível verificar que o número de inscritos é confrangedoramente baixo, com apenas 83 atletas nos escalões de competição, aos quais se somam 19 participantes nas provas abertas (OPT Difícil Curto, Fácil Longo e Difícil Longo). Os 8 escalões de formação contam apenas com 16 atletas inscritos e o maior número de presenças verifica-se em Veteranos Masculinos I (16). Nas prova-rainha masculina, Celso Moiteiro (COC) recolhe natural favoritismo, com os seus companheiros de equipa, Joaquim Sousa, Paulo Franco e Gildo Silva, a prestarem forte oposição. Nas damas, as duas atletas do COC, Andreia Silva e Patrícia Casalinho, parecem talhadas para discutir entre si a vitória, com Catarina Ruivo (COC), Susana Pontes (CPOC) e Paula Nóbrega (OriMarão) à espera de um deslize. As primeiras partidas no sábado estão agendadas para o meio-dia, enquanto no domingo os primeiros a partir fá-lo-ão a partir das 9h30.

Com as atenções orientadas, desta forma, para S. Pedro do Sul, a Organização só não promete uma coisa: “Infelizmente não podemos prometer Sol”, diz Nuno Leite, embora as previsões meteorológicas para o fim-de-semana sejam animadoras. E logo acrescenta que “se este não se ocultar, por si só a visita à Serra da Freita é já um aliciante como fim-de-semana bem passado." Mas há mais: “Temos percursos desafiadores aliados a mapas técnicos; ou seja, temos aquilo que todos os praticantes de Orientação procuram. Garantimos que quanto a este ponto ninguém se irá embora insatisfeito.” Leite faz questão de salientar que as novidades incluem ainda “a atribuição de cheques-prenda aos três primeiros Seniores (M/F) e um vale noite grátis a sortear na entrega de prémios, tudo para usufruir no Retiro da Fraguinha.”

Saiba todos os pormenores em http://www.ori-estarreja.com/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: