sábado, 11 de outubro de 2008

41º WMOC LITHUANIA: RUSSIA FECHA COM CHAVE DE OURO


Chegou ao fim o 41º Campeonato Mundial Militar de Orientação Pedestre (WMOC’08). A prova de Estafeta encerrou o programa competitivo e a Rússia voltou a mostrar o porquê de ser uma das grande potências mundiais da modalidade.

Alytus foi o palco da prova de encerramento do 41º WMOC’08, a sempre espectacular Estafeta. No sector masculino alinharam à partida 50 equipas e a regra veio, uma vez mais, a confirmar-se. A segunda equipa da Rússia e a principal equipa suiça travaram entre si empolgante duelo, o qual apenas se resolveu já com a meta à vista. Os russos até nem começaram bem, com Roman Efimov a fazer um primeiro percurso pouco melhor que sofrível e a entregar o testemunho a Dmitry Tsvetkov na 12ª posição. Baptiste Rollier dava à equipa nº 1 da Suiça a liderança da prova, logo seguido do norueguês Havaro Lucasen e do dinamarquês Thomas Jensen. Leonid Novikov, na 6ª posição, mantinha a equipa nº 1 da Rússia na luta pela vitória.

Cá mais para trás Tiago Lopes, da 2ª equipa portuguesa, transmitia o testemunho na 29ª posição e João Santos, da equipa principal, era o 35º atleta a passar o testemunho. Os primeiros desempenhos das duas equipas brasileiras não foram muito diferentes e enquanto Alberto Ironir (Brasil 2) concluia na 33ª posição, Gilmar Steffler (Brasil 1) efectuava a passagem de testemunho no 39º lugar.

Suíços cimentam liderança

Daniel Hubmann, com o segundo melhor tempo no percurso intermédio, cimentou a liderança da principal equipa suiça. Melhor esteve Dmitry Tsvetkov (Rússia 2), cujo percurso praticamente imaculado fez com que a sua equipa recuperasse 51 segundos e ascendesse à 3ª posição. Alexey Bortnik (Rússia 1) fazia igualmente um excelente percurso e colocava a principal equipa russa no 2º lugar.

Quanto aos portugueses, tanto Alexandre Reis como Pedro Duarte tiveram bons desempenhos e fizeram com que as respectivas equipas subissem na classificação. Assim, à entrada para o decisivo percurso, a 2ª equipa portuguesa encontrava-se na 28ª posição, enquanto a 1ª equipa se posicionava três lugares abaixo, a menos de dois minutos de diferença. A principal equipa brasileira recuperou dois lugares graças ao bom desempenho de Carlos Alberto Araújo. Ao invés, Cláudio Tokarski perdia alguns segundos preciosos e a 2ª equipa brasileira ocupava agora a 35ª posição.

Khramov e o volte-face

Responsável pelo último percurso dos suíços, Matthias Merz foi impotente para segurar a liderança, face a um endiabrado Andrey Khramov [na foto]. Campeão do Mundo de Sprint em título e detentor da Medalha de Ouro colectiva nos Europeus de Ventspils (Letónia), Khramov fez questão de mostrar toda a sua enorme qualidade física e técnica, recuperando da desvantagem de 2:05 com que partira para o derradeiro percurso e terminando vitorioso com o tempo total de 1:56:24, contra os 1:56:39 da Suiça 1. Valentin Novikov fez igualmente uma grande prova mas a Rússia 1 acabaria por não ir além da 3ª posição com 1:57:10. Bertuks, Krumins e Sirmais deram à Letónia a 4ª posição, com o tempo de 2:00:31, após cerrado duelo com a principal equipa da Estónia, constituída por Kraas, Karner e Vaher, que gastou mais 11 segundos.

Entre os portugueses, Armando Sousa esteve ao seu nível e recuperou ainda mais três lugares, deixando a nossa primeira equipa na 28ª posição, com 2:49:13. Lídia Santana fechou o seleccionado nº 2 de Portugal e uma prestação menos feliz fez com que a equipa resvalasse para o 45º posto com o tempo de 3:56:40. Entre os brasileiros, Leandro Pasturiza fez uma prova verdadeiramente fora de série e fez com que a 2ª equipa brasileira recuperasse 10 posições (!) para terminar no 25º lugar com 2:47:26. Recuperando também três posições, Augustinho Kumiechick fixou a equipa nº 1 do Brasil no 34º lugar, com um registo de 2:57:45.

Russas conquistam o ouro

No sector feminino, o seleccionado russo não sentiu especial dificuldade em levar de vencida a concorrência. Irina Mikhalko, Natalia Korzhova e Tatjana Ryabkina completaram a sua prova em 1:50:10, relegando a Lituânia (Ieva Sargautytè, Vilma Rudzenskaitè e Indrè Valaitè) para a 2ª posição, com mais 6:25. A Letónia (Ieva Vegere, Arama e Aija Skrastina) fez 2:04:12 e completou o pódio. Tatjana Ryabkina fez o pleno de medalhas de ouro e a Rússia demonstrou uma superioridade esmagadora, alcançando 10 das 18 medalhas em jogo (5 de ouro, 2 de prata e 3 de bronze). Recorde-se que o pleno dourado dos russos apenas foi quebrado pelo francês Thierry Gueorgiou. Lituânia com três medalhas (2 de prata e 1 de bronze) e Letónia e Suiça com duas cada (1 de prata e 1 de bronze), fecharam o medalheiro dos Campeonatos.

Consulte os resultados completos aqui.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: