sábado, 26 de abril de 2008

CAMPEONATOS DO MUNDO DE ORIENTAÇÃO ESCOLAR ISF 2008


O “V” DA VITÓRIA GRAVADO A OURO E PRATA

Tinham prometido e cumpriram! Os atletas portugueses presentes nos Mundiais de Orientação Escolar gravaram a ouro e prata uma das mais belas páginas da Orientação nacional, fazendo a bandeira das quinas ondular ao vento pela vez primeira em eventos desta natureza. Autores da inusitada proeza, os iniciados Vera Alvarez Miranda e Luís Pinto, respectivamente campeã e vice-campeão do mundo na Distância Média, foram autênticos heróis nas florestas escocesas. No dia 25 de Abril, a Orientação portuguesa tem motivos acrescidos para festejar.

Barr Wood e a sua floresta de encantar foi palco da histórica vitória de Vera Alvarez na prova de Distância Média dos Campeonatos Mundiais de Orientação Escolar 2008, no escalão de iniciados femininos. A menina do CPOC, aqui em representação da EB 2,3 da Sarrazola – Colares (Sintra), fez uma prova de sonho e “voou” para o lugar mais alto do pódio ao completar os 2 km de prova (10 pontos de controlo) nuns fantásticos 12:42. Liga Valdmane, a atleta da Letónia que arrecadara o ouro da Distância Longa, quedou-se a distantes 38 segundos da portuguesa, com a austríaca Lucija Telismann a vingar o 8º lugar da prova anterior e a conquistar a 3ª posição com 14:16. Marta Ferreira voltou a ser a segunda melhor portuguesa apesar de, desta feita, não ter ido além da 18ª posição com 18:30. Carolina Moreira (35º lugar com 21:39), Joana Macieira (46º lugar com 28:03) e Rebeca Assunção (48º lugar com 28:50) completaram a turma da Sarrazola, numa prova concluída por 63 atletas. Colectivamente, entre 15 equipas, a turma sintrense repetiu o 4º lugar da Distância Longa e com o primeiro lugar do pódio a caber uma vez mais às letãs do Valmiera Pargauja Gimnasium, imediatamente seguidas pelas austríacas do BG/BRG Graz Kirchenpass e pelas neo-zelandesas de Havelock North High School.

Também em iniciados, mas no sector masculino, Luís Pinto (Escola Secundária Pinhal Novo) fez igualmente “a prova da sua vida”, melhorando – e de que maneira! – o 6º lugar da Distância Longa e vendo-se apenas suplantado pelo letão Ivars Klavins. No final, escassos treze segundos separaram os dois atletas, com Luís Silva a gastar 14:22 para os 2,5 km de prova (13 pontos de controlo) enquanto Klavins, 2º classificado na Distância Longa, fez 14:09. O escocês Finlay Langan, com 14:29, repetiu o 3º lugar da Distância Longa, para gaúdio dos muitos compatriotas que assistiram ao desenrolar da prova. Patryk Piosik, o polaco que havia vencido a prova de Distância Longa, deu aqui um “trambolhão” monumental, caindo para a 31ª posição. Quanto aos restantes portugueses em prova, Ricardo Reis foi o 22º classificado com 17:58, João Marques alcançou a 29ª posição com 19:15, Fábio Silva terminou no 55º lugar com 30:54 e Luís Graça foi o último dos 62 atletas que lograram completar o percurso, gastando 57:47.
Apesar da excelente prestação de Luís Silva, a turma pinhalnovense não foi além do 6º lugar colectivo entre 14 equipas. Riga State Gymnasium (Letónia) e Academia Aboyne (Escócia) repetiram as duas primeiras posições da Distância Longa com o 3º lugar a ser ocupado pelos ingleses da Ulverston Victoria High School.

Quanto à representação portuguesa no escalão de juvenis, voltou a estar bem melhor no sector feminino, com Joana Costa a liderar novamente o grupo da EB 2,3 A Ribeirinha (Vila do Conde), concluindo na 7ª posição com 21:47 para 3 km de prova (14 pontos de controlo). No lugar seguinte, com mais 0:50, classificou-se Isabel Sá e só na 32ª posição entraria Maria Oliveira com 31:19. Ágata Cerqueira, na 44ª posição com 33:52, e Carla Maia no 70º posto com 51:57 completaram a equipa, numa prova concluída por 76 atletas. À semelhança do que acontecera na prova de Distância Longa, a Suécia voltou a “açambarcar” os três lugares do pódio, com Anne Segersson e Johanna Persson a repetiram, respectivamente, o ouro e a prata da prova anterior. A EB 2,3 A Ribeirinha caiu colectivamente 3 lugares em relação à prova de Distância Longa, quedando pela 5ª posição em 18 equipas. As suecas do Eksjö Gymnasium voltaram a ser as grandes dominadoras, seguidas pelas inglesas da Ulverston Victoria High School e pelas eslovacas do Gymnásium sv Akvinského.

Numa prova ganha pelo espanhol Antonio Martinez, 6º classificado na Distância Longa, a representação juvenil masculina a cargo da Escola Secundária de Pinhal Novo viu Paulo Pereira alcançar o melhor resultado, classificando-se na 16ª posição com 22:34. Miguel Mouco (30º lugar com 26:06), Bruno Jesus (36º classificado com 27:47), Rafael Augusto (65º lugar com 49:55) e João Carvoeira (69ª posição com 54:08) foram os restantes elementos da turma pinhalnovense, numa prova que teve a distância de 3,7 km (15 pontos de controlo) e na qual lograram chegar ao fim 77 atletas. Em termos colectivos, a Escola Secundária de Pinhal Novo melhorou relativamente à prova de Distância Longa, alcançando a 8ª posição entre 18 participantes. A vitória coube aos suecos do Eksjö Gymnasium, com o 2º lugar a ser conquistado pelos finlandeses do Mäkelänrinteen Iukio e o 3º lugar a ir parar aos espanhóis da I E S La Creueta de Onil.

No cômputo geral, a Suécia reforçou a liderarança no “medalheiro” da competição, com um total de 13 medalhas (5 de ouro, 5 de prata e 3 de bronze), logo seguida da Inglaterra com 11 medalhas (5 de ouro, 2 de prata e 4 de bronze) e da Letónia com 10 medalhas (2 de ouro, 5 de prata e 3 de bronze). Portugal alcançou uma fantástica 4ª posição graças às medalhas de Vera Alvarez e Luís Silva, suplantando países bem mais credenciados, casos da Áustria, da Polónia, da Estónia, da França e, sobretudo, da Finlândia.

Saiba tudo em http://www.wsco2008.org.uk/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: